3 julho 2022 1:53
3 julho 2022 1:53

Prefeitura de Boca do Acre fica sem energia por falta de pagamento

Por Redação Ecos da notícia

- Publicidade -

O prédio da Prefeitura de Boca do Acre, no Amazonas, teve o fornecimento de energia elétrica cortado ontem, terça-feira (31 de maio), por conta de um atraso milionário junto à concessionária Amazonas Energia. De quebra, a Unidade Básica de Saúde Francisco Gastino, teve os trabalhos prejudicados por também ter ficado sem energia elétrica, uma vez que divide o mesmo prédio com a prefeitura.

O débito do município de Boca do Acre se arrasta desde o primeiro dia de gestão do primeiro mandato do atual prefeito Zeca Cruz, em 2017. De lá para cá, praticamente nenhuma fatura de energia de todos os prédios municipais é paga. Com mais esse corte, essa é a terceira vez que a Amazonas Energia interrompe o fornecimento do prédio da sede do Poder Executivo, que em outras ocasiões, teve o religamento garantido por meio de decisão judicial, valendo do serviço essencial da área da Saúde, que é prestado através da UBS, que como dito anteriormente, funciona no mesmo prédio da prefeitura.

Quem expôs o assunto nas redes sociais foi o vereador de oposição, Jansen Almeida. De acordo com o parlamentar, assim que a notícia correu à boca pequena, Almeida teve a iniciativa de fazer uma visita à UBS Francisco Gastino e constatou que o serviço da unidade estava totalmente interrompido, com atendimento cancelado, por conta da falta de energia elétrica.

“Fiquei sabendo da informação, fui in loco e constatei a verdade dos fatos. Isso é uma vergonha! Pessoas ficaram sem atendimento médico, porque o prédio da UBS, que usa a mesma energia da Prefeitura, foi cortada”, comentou o vereador, através de um vídeo nas redes sociais.

Jansen alfinetou o prefeito Zeca Cruz, perguntando se ele não tinha vergonha de ter a energia do seu local de trabalho cortada por falta de pagamento.

Cortes começaram em 2020
Os cortes no fornecimento de energia nos prédios municipais começaram em fevereiro de 2020. Em setembro do ano anteriormente citado, doze instituições municipais ficaram às escuras por conta do débito, que há praticamente dois anos, era de mais de 6 milhões de reais.

Alguns prédios, como a Secretaria Municipal de Obras, que praticamente está sucateada, não tiveram o retorno no fornecimento de energia elétrica, ou seja, há dois anos que os servidores que trabalham nessa repartição pública, não conseguem sequer tomar uma água gelada.

Sem luz no mercado
Em julho do ano passado, os feirantes do mercado municipal Domingos Furtado, relatavam enormes prejuízos. O motivo era que o prédio municipal tinha sido mais um na lista daqueles que tiveram a energia cortada. Na época, para religar a luz do local, a prefeitura teve que pagar a fatura que já ultrapassava nos 90 mil reais.

O mercado municipal Elvira Maria, situado no centro da cidade, também teve o fornecimento de energia cortado, e para a inauguração, em 2020 o prefeito Zeca Cruz foi obrigado a quitar a dívida de 310 mil reais.

Hoje, quem é dono de boxe no mercado do Centro, tem a conta de luz registrada no seu CPF, fugindo do risco que ficar a mercê dos calotes da Prefeitura de Boca do Acre.

Fonte/ Jornal Opinião

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.752 outros assinantes

ÚLTIMAS