5 julho 2022 5:03
5 julho 2022 5:03

Moradores de Xangai estocam comida enquanto governo prepara testagem em massa de Covid.

Anúncios provocaram receios sobre possível volta da quarentena para os 25 milhões de habitantes.

Por Redação Ecos da notícia

- Publicidade -

Xangai realizará testes de Covid-19 em mais da metade de seus 25 milhões de habitantes neste fim de semana, alimentando medo de um retorno a restrições mais rigorosas apenas alguns dias após o centro financeiro emergir de dois meses de uma quarentena rigorosa.

Os anúncios de testes em massa provocaram temores de um retorno ao isolamento severo e prolongado entre os moradores de Xangai, muitos dos quais estavam confinados em suas casas por dois meses ou a maioria desde março.

Esses medos desencadearam uma compra descontrolada. Na quinta-feira (9), moradores de Xangai correram para os supermercados para estocar alimentos e outras necessidades diárias, formando longas filas nos caixas e deixando as prateleiras vazias, de acordo com fotos e vídeos que circularam nas redes sociais.

Pelo menos sete dos 16 distritos da cidade, com uma população combinada de 15 milhões de pessoas, realizarão testes em massa no fim de semana, disse Zhao Dandan, vice-chefe da Comissão Municipal de Saúde de Xangai, em entrevista coletiva na quinta-feira. Os distritos incluem as áreas mais populosas de Xangai e centros de negócios movimentados, como Pudong e Xuhui.

Os distritos que relataram casos positivos desde que Xangai suspendeu a quarentena em toda a cidade em 1º de junho serão colocados sob “gestão fechada” durante a coleta de amostras de teste, disse Zhao. Ela não especificou quanto tempo vai durar o período de testagem.

No conceito de política zero Covid da China, “gestão fechada” geralmente se refere a restrições que impedem as pessoas de deixar suas comunidades residenciais ou locais de trabalho.

Mas a campanha de testes em massa se estende muito além dos sete distritos nomeados pelas autoridades de saúde de Xangai.

Na noite de quinta-feira, o distrito de Changning, que abriga o Aeroporto Internacional Hongqiao de Xangai e 700 mil moradores, anunciou em sua conta oficial de mídia social que realizará testes em massa de Covid no sábado (11).

“Durante o período de testagem, a gestão fechada será aplicada em comunidades residenciais, onde (os moradores) só podem entrar, mas não sair”, disse o comunicado.

Mais cedo na quinta-feira, o distrito de Songjiang também disse nas mídias sociais que seus 1,9 milhão de habitantes devem passar por testes de Covid no fim de semana.

Profissional de saúde coletando amostra para exame de detecção de Covid-19 em Xangai / 30/05/2022 REUTERS/Aly Song.

Mudança

Os líderes chineses prometeram repetidamente seguir a política de zero Covid, que visa eliminar rapidamente os surtos locais com testes em massa, bloqueios instantâneos, rastreamento extensivo de contatos e quarentena.

Autoridades alertam que um relaxamento da política levará a um aumento nas hospitalizações e mortes entre a população idosa do país — muitos dos quais ainda não foram totalmente vacinados.

Mas a estratégia está enfrentando um desafio crescente da variante Ômicron, altamente transmissível, e causando descontentamento crescente entre os moradores cuja vida foi frequentemente interrompida.

Na China, a detecção de um único caso positivo pode colocar todo um prédio ou comunidade em quarentena do governo e colocar vários bairros próximos em isolamento por duas semanas.

Desde o afrouxamento das restrições em 1º de junho, Xangai continuou a relatar casos de Covid, inclusive entre residentes fora das áreas de quarentena. Como resultado, um número crescente de bairros foi colocado de volta sob uma quarentena rigorosa.

Um vídeo obtido pela CNN mostra cercas altas erguidas para isolar uma grande parte da antiga área de concessão francesa arborizada no centro de Xangai.

Na quinta-feira, as autoridades de Xangai relataram seis novos casos locais de Covid, três dos quais foram atribuídos a um salão de cabeleireiro no centro da cidade. A mídia estatal havia relatado anteriormente que três funcionários do salão deram positivo, provavelmente resultando na quarentena de 13 outros trabalhadores e 502 clientes — e seus contatos próximos — que visitaram o salão na semana passada.

Um morador de Xangai disse à CNN que mais de 200 pessoas que moram em dois prédios em seu bairro foram colocadas em isolamento, depois que dois moradores foram identificados como contatos próximos dos casos do salão de cabeleireiro.

Enquanto isso, em Pequim, o maior distrito da cidade anunciou na quinta-feira o fechamento de todos os locais de entretenimento, incluindo bares, cibercafés e algumas instalações esportivas, poucos dias depois de permitir a reabertura.

A mudança ocorreu depois que as autoridades relataram três casos locais de Covid, todos ligados a um bar no distrito de Chaoyang, que abriga as principais cenas de vida noturna da capital. Vários outros distritos de Pequim anunciaram fechamentos semelhantes.

Fonte/ CNN BRASIL

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.791 outros assinantes

ÚLTIMAS