5 julho 2022 4:42
5 julho 2022 4:42

​Governo trava nova batalha nos bastidores para evitar reajuste dos combustíveis

Bolsonaro e ministros fazem movimentos para pressionar estatal e buscam se posicionar na opinião pública para evitar novo aumento.

Por Redação Ecos da notícia

- Publicidade -

O governo esperava para hoje um novo reajuste da Petrobras nos preços da gasolina e do diesel. As informações foram passadas pelos aliados que restam no comando da estatal, mesmo com a União sendo a controladora da empresa e tendo o poder de indicar a maior parte do conselho de administração, responsável pelas decisões da Petrobras.

Diante da informação, o presidente Jair Bolsonaro e ministros lançaram uma ofensiva nos bastidores, e de comunicação, contra o aumento em um momento em que o Congresso aprovou uma limitação da cobrança de ICMS sobre os combustíveis.

Neste momento, o governo não foi comunicado de quanto seria o reajuste que pode ser anunciado pela Petrobras. Nos bastidores, o presidente Jair Bolsonaro tem dito que a Petrobras “pode voltar atrás” e que “o martelo não está batido”.

O presidente também chama de “covardia” a possiblidade de um aumento nos preços neste momento, quando foi feito um grande esforço para aprovação da redução dos impostos sobre os combustíveis. Para Bolsonaro a empresa tem como evitar novos reajustes porque vem obtendo grande lucro durante a alta nos preços do petróleo.

A empresa tem como política de preços o PPI (Preço de Paridade Internacional), criada há seis anos durante o governo do ex-presidente Michel Temer. Com isso, os valores dos combustíveis passaram a ser cálculos com base nos custos de importação, incluindo transporte e taxas portuárias, além do preço do petróleo no mercado internacional e o valor do dólar.

Fonte/ Portal R7

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.800 outros assinantes

ÚLTIMAS