5 julho 2022 10:52
5 julho 2022 10:52

Em ofício a Fachin, ministro da Defesa pede reunião exclusiva de técnicos das Forças Armadas com os do TSE

General Paulo Sérgio Nogueira vem insistindo no encontro, mas presidente do TSE já disse que o fórum adequado para a conversa é a Comissão de Transparência Eleitoral, e não uma reunião exclusiva.

Por Redação Ecos da notícia

- Publicidade -

O ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, enviou nesta segunda-feira (20), um ofício ao presidente do Tribunal Superio Eleitoral (TSE), Edson Fachin, no qual pede reunião exclusiva entre técnicos das Forças Armadas e da Corte Eleitoral para tratar da parte operacional eleições.

No mesmo ofício, Nogueira confirmou que representantes das Forças vão participar de um reunião nesta segunda da Comissão de Transparência Eleitoral (CTE) e do Observatório de Transparência Eleitoral (OTE). Técnicos de outros órgãos, além das Forças e do TSE, também participarão.

Fachin já afirmou que a comissão é o fórum destinado para discussões técnicas e diálogo interinstitucional sobre o processo eleitoral. O ministro da Defesa tem cobrado um encontro sob argumento de que serviria para “dirimir eventuais divergências técnicas” que teriam surgido nos trabalhos da comissão e “discutir as propostas apresentadas pelas Forças Armadas”.

Nogueira confirmou que o general Heber Garcia Portela, que é o representante das Forças Armadas na comissão, vai participar da reunião desta segunda.

O presidente Jair Bolsonaro, que, sem provas, levanta suspeitas contra as urnas eletrônicas, chegou a sugerir que as Forças Armadas fizessem apuração paralela de votos. Autoridades e especialistas vêm ressaltando que a urna é segura e que os votos são auditáveis.

Comissão de Transparência

 

A Comissão de Transparência das Eleições foi criada no ano passado para ampliar a transparência e a segurança de todas as etapas de preparação e realização das eleições. O colegiado conta com especialistas, representantes da sociedade civil e instituições públicas na fiscalização e auditoria do processo eleitoral.

“Reitero a necessidade de realizar uma reunião específica entre as equipes técnicas do Tribunal e das Forças Armadas, haja vista que o aprofundamento da discussão acerca de aspectos técnicos complexos suscita tempo e interação presencial, que não estão contemplados na supramencionada reunião da CTE/OTE”, escreveu o ministro da Defesa.

Nas últimas semanas, o TSE e o ministro da Defesa trocaram ofícios sobre questionamentos feitos pelas Forças Armadas a respeito do sistema de votação.

Fachin também afirmado que a grande maioria das sugestões apresentadas no âmbito da comissão foram acolhidas, indicando o “compromisso público da Justiça Eleitoral com a concretização de diálogo plural” não apenas com os parceiros institucionais, mas também com a sociedade civil.

Fonte/ Portal G1

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.793 outros assinantes

ÚLTIMAS