5 julho 2022 11:35
5 julho 2022 11:35

Defesa consegue adiar audiência que poderia levar sargento Nery a júri popular em Epitaciolândia

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Helane Christina que atua na defesa do Sargento Nery acusado, conforme denúncia do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), de tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil e recurso que impossibilitou a defesa da vítima, porte irregular de arma de fogo de uso permitido e por lesão corporal de natureza grave contra o estudante de medicina Flavio Endres, de 30 anos.

Advogada conseguiu um importante revés na Justiça conseguindo adiar Audiência de Instrução e Julgamento previsto para acontecer na manhã desta quinta-feira (09), na Vara Criminal do Fórum de Epitaciolândia, o que poderia levar ou não, o seu cliente a júri popular.

Helane apresentou nesta quarta-feira (08), ao judiciário acreano um atestado médico de 30 dias por motivos de saúde e por isso, não poderia fazer a defesa de Nery na data marcada para audiência.

O Juiz substituto da Comarca de Epitaciolândia, Dr. Clóvis de Souza Lodi, aceitou os argumentos da defesa e adiou para uma outra data ainda a ser definida Audiência de Instrução e Julgamento sobre o caso. O processo segue em segredo de justiça a pedido da defesa que teve a segunda decisão favorável ao Sargento Nery em uma semana.

Entenda o caso

Dra. Joelma Ribeiro, Juíza da Vara Criminal de Epitaciolândia responsável pelo caso negou em abril deste ano, o pedido de insanidade mental de sargento Erisson Nery e agora a defesa dele tenta derrubar decisão na Justiça. E por isso Advogada pediu ainda a suspeição da magistrada, alegando que não há imparcialidade.

Sargento Nery é acusado de atirar quatro vezes a queima roupa contra o estudante Flávio Endres Ferreira (30), em novembro do ano passado em um bar de Epitaciolândia. A vítima está com sequelas em umas das mãos e braço e após passar por cirurgia na região do abdômen e ficar internado vários dias no pronto-socorro de Rio Branco. O jovem recebeu alta médica no início de dezembro passado.

O Militar ficou famoso nas redes sociais após assumir ‘trisal’, com a mulher também sargento da PM do Acre, Alda Nery, e Darlene Oliveira. Os três moravam em Brasiléia e de acordo com informações, há alguns meses a sargento fazia tratamento psicológico, quando o casal voltou a gerar polêmica ao surgir boatos de separação.

Fonte: O Alto Acre

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.801 outros assinantes

ÚLTIMAS