5 julho 2022 1:01
5 julho 2022 1:01

Combustíveis mais caros? Petrobras deve reajustar preços ESTA semana

Petróleo e dólar acumulam alta nos últimos pregões e pressionam cada vez mais a Petrobras, que deve anunciar novos reajustes dos combustíveis

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Os brasileiros devem preparar o bolso para novas altas dos combustíveis. Isso porque a defasagem dos preços do diesel e da gasolina superam 15%, ou seja, a Petrobras está comprando combustíveis mais caros do exterior e vendendo mais barato no país. E essa situação deve mudar em breve porque a estatal deverá anunciar novos reajustes nos combustíveis.

Aliás, a equipe econômica do governo acredita que o anúncio ocorrerá ainda nesta semana, segundo o colunista Lauro Jardim, de O Globo. Em resumo, a política de preços da Petrobras segue o mercado externo, e o que acontece no exterior reflete diretamente nos preços dos combustíveis no Brasil.

Na semana passada, tanto o petróleo quanto o dólar tiveram avanços firmes. Além disso, nesta segunda-feira (13), ambos fecharam mais um pregão em alta. Enquanto o barril Brent, que é a referência mundial, subiu levemente (0,21%) no dia, o dólar saltou 2,56% e chegou a R$ 5,11, maior cotação de fechamento em um mês.

Embora o petróleo tenha registrado um avanço tímido no pregão, está acumulando uma forte valorização de 54% em 2022. Por outro lado, o dólar tem uma desvalorização de 8,26% ante o real neste ano. Contudo, vale ressaltar que a moeda norte-americana acumulava queda de 14,77% em 31 de maio. Isso mostra o quanto a divisa disparou em junho.

Petrobras deve anunciar reajuste nos próximos dias
Esses avanços do petróleo e do dólar são péssimos para o brasileiro. Como a política de preços da Petrobras segue a cotação internacional do petróleo e as variações do dólar, a estatal fica ainda mais pressionada a reajustar os combustíveis no país. Em outras palavras, a empresa continua no prejuízo, vendendo combustíveis mais baratos, apesar de comprá-los mais caros.

De acordo com a Associação Brasileira de Importadores de Combustível (Abicom), a defasagem da gasolina chega a 17%, enquanto a diesel atinge 16%. Esses valores “afastaram-se muito da paridade, o que inviabiliza as operações de importação”, segundo a Abicom. Por isso que há expectativas para a alta dos combustíveis nesta semana.

Por Brasil 123

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.790 outros assinantes

ÚLTIMAS