19 maio 2022 10:20
19 maio 2022 10:20

Mãe que jogou filha recém-nascida no lixo pode pegar 3 anos de prisão

A mãe jogou a filha recém-nascida no lixo após notar que a bebê estava sem vida. O corpo foi encontrado pelos profissionais de limpeza responsáveis pela região do crime

Por Pais&filhos

Uma mãe deu à luz em sua própria casa, porém, ao notar que a filha estava sem vida, jogou a recém-nascida em um lixo que estava para ser coletado junto com os demais resíduos de um condomínio. O caso aconteceu no município de Porto Nacional, no estado do Tocantins. Agora, a mulher pode responder judicialmente por ocultação de cadáver. As investigações foram concluídas nesta quarta-feira, 4 de maio.

A pena por ocultação de cadáver pode variar entre 1 a 3 anos de reclusão. Segundo as investigações policiais, o inquérito apontou que a mãe da bebê não foi a responsável pela prática do aborto, visto que o laudo de exame de corpo de delito não apontou nenhuma ação abortiva.

Além disso, também foi verificado o laudo do exame necroscópico, o qual apontou que a bebê teria falecido por asfixia decorrente da circular do cordão. Isto é, a falta de oxigenação que teria ocorrido ainda na barriga da mãe.

Corpo encontrado na lixeira

Segundo o portal AF Notícias, a ocultação do cadáver da bebê teria sido executada como a mãe esperava, caso os coletores de lixo não tivesse encontrado o cadáver. A recém-nascida estava envolvida em um saco de lixo.

O Túlio Pereira Motta, delegado responsável pelo caso, discorreu sobre o assunto: “Ocorre que no momento em que os coletores perceberam que havia um corpo de uma bebê recém-nascida e que ele estava prestes a ser compactado pelo sistema automático do caminhão, os profissionais da limpeza pararam o serviço e avisaram imediatamente a Polícia Militar”. Agora, o inquérito foi encaminhado ao Ministério Público.

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.221 outros assinantes

ÚLTIMAS