18 agosto 2022 6:02
18 agosto 2022 6:02

Gladson Cameli critica oportunismo de políticos por incêndio na Biblioteca da Floresta e lembra que o espaço foi abandonado no Governo passado

Jorge Viana, assim que soube do princípio de incêndio, foi para a frente do local gravar vídeo; Governo investiga se fogo foi criminoso

Por Tião Maia, da Redação do Ecos da Notícia

- Publicidade -

Embora sem citar nomes, o governador Gladson Cameli (PP) não deixou sem resposta o oportunismo de políticos adversários de seu Governo que tentaram tirar proveito do princípio de incêndio corrido na Biblioteca da Floresta, no Parque da Maternidade, na noite do último dia 16.

Se o princípio de incêndio foi por problemas técnicos ou criminoso, segundo o governador, só quem poderá dizer é a polícia, ao final da investigação que ele determinou fosse realizada de forma minuciosa.

“Eu quero crer que tenha sido causado [o princípio de incêndio] por problemas de natureza técnica. Mas fico intrigado quando vejo políticos tirando fotos e fazendo vídeos lá na frente para tirar proveito do que pode ter sido uma acidente, que estamos mandando apurar”, disse o governador.

Um dos políticos que fez vídeo na frente da Biblioteca, após o princípio de incêndio, foi o ex-governador e ex-senador Jorge Viana, irmão do ex-governador Tião Viana, que governou o Estado de 2010 a 2018 (dois mandatos) e nos últimos quatro anos, abandonou não só a Biblioteca da Floresta como todo o Parque da Maternidade.

Uma das suspeitas de que o incêndio possa ter sido provocado decorre do fato de que, pelo abandono de todo o conjunto do parque da Maternidade, desde o governo passado, o local passou a ser uma espécie de território livre de usuários de drogas e outras pessoas em situação e rua.

“Quem abandonou o parque, a Biblioteca e outras casas de cultura no Estado não fomos nós do atual Governo. Nosso esforço, aliás, é no sentido de recuperarmos o que foi abandonado por aqueles mesmo que criaram esses espaços e depois lavaram as mãos como se a Biblioteca e outros bens relacionados à cultura nada tivesse a ver com o Estado e com o governo deles. Acabamos de recuperar, por exemplo,a Concha Acústica e vamos fazer o mesmo com outros bens que eles deixaram praticamente acabar”, afirmou o governador.

Gladson Cameli disse ainda que, assim como o próprio Parque, que já começou a sofrer intervenções, a Biblioteca da Floresta será recuperada o mais breve possível.

“Ainda ontem, cobrei da minha equipe o motivo de as obras de recuperação ainda não estarem licitadas. Obtive resposta e que isso depende apenas de entraves burocráticos. Mas vamos vencer isso e realizar a nossa obrigação, que é fazer o nosso trabalho e recuperar tudo aquilo que foi abandonado por quem agora quer tirar proveito da situação, por ser ano eleitoral”, acusou Cameli.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS