11 maio 2022 3:33
11 maio 2022 3:33

Após ter filho condenado por homicídio, marido e mulher passam por novo julgamento após MP-AC recorrer

Família de três pessoas, que participou da morte de Alexandre Rocha da Silva, já tinha sido julgada em 2020, mas apenas Francisco Cleiton Pereira Santos foi condenado a 13 anos de prisão de pela morte, na época.

Por Redação Ecos da Notícia

Marido e mulher acusados da morte de Alexandre Rocha da Silva, de 26 anos, em outubro de 2018 foram condenados juntos a 28 anos e seis meses de prisão pelo crime, em um novo julgamento que ocorreu nessa terça-feira (10) na 1ª Vara do Tribunal do Júri. O filho deles já havia sido condenado pelo mesmo crime.

 

casal que matou homem a facadas é condenado a mais de 28 anos de prisão em novo julgamento no AC — Foto: Arquivo

Ao todo, seis testemunhas, sendo uma a mãe da vítima, foram ouvidas na audiência, que resultou na condenação de Maria Auxiliadora Barbosa a 15 anos e 6 meses de reclusão e Emerson dos Santos a 13 anos. Os dois foram condenados a cumprir as penas em regime fechado, porém, eles vão aguardar o trânsito em julgado da sentença em liberdade.

A família que participou da morte de Silva já tinha sido julgada em 2020, mas apenas Francisco Cleiton Pereira Santos, filho do casal, foi condenado a 13 anos de prisão de pela morte, na época.

Maria Auxiliadora tinha sido absolvida do crime de homicídio qualificado e corrupção de menor e foi condenada apenas pelo homicídio simples, com pena de sete anos. Já Emerson dos Santos foi absolvido do crime doloso e teve o crime desclassificado para culposo e foi solto logo após o júri.

Com essa decisão do júri, o Ministério Público Estadual (MP-AC) recorreu e foi feito um novo julgamento que resultou na nova condenação, segundo informou o promotor Carlos Pescador.

“O MP denunciou três pessoas. No primeiro julgamento, Francisco Cleiton foi devidamente condenado, e a Maria teve retirada algumas qualificadoras e Emerson entenderam que ele não agiu com intenção de matar. Por conta disso, recorri da pena, achei errada a condenação em relação Maria e ao Emerson, fomos ao Tribunal de Justiça que entendeu que os jurados votaram contrários às provas dos autos e determinaram um novo julgamento e, enfim, no nosso entender enquanto Ministério Público, agora a justiça foi feita e ambos condenados nos termos da denúncia”, disse.

Conforme a denúncia, a vítima bebia e fazia uso de drogas na casa de Maria, quando eles tiveram um desentendimento na frente dos outros dois acusados e de um adolescente. Foi quando Emerson agarrou a vítima e a enforcou até que ela desmaiasse. Foi quando os outros envolvidos levaram o homem para fora da casa e terminaram de matar. Eles foram denunciados por homicídio qualificado, e concurso de pessoa.

Fonte: G1ACRE

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.173 outros assinantes

ÚLTIMAS