20 maio 2022 2:57
20 maio 2022 2:57

Restaurante japonês dedicado ao nudismo some sem deixar vestígios

Por ISTOÉ GENTE

Em 2016, um curiosa moda de restaurantes para nudistas surgiu ao redor do mundo. Quem liderou a tendência foi o Bunyadi (palavra que significa “natural”), de Londres, onde que servia pratos feitos apenas com ingredientes orgânicos para uma clientela sem roupa. Em dado momento, o Bunyadi chegou a ter 46 mil pessoas em sua fila de espera.’

Dado o sucesso desse tipo de restaurante, a moda logo chegou ao Japão. O primeiro endereço voltado para nudistas no país asiático foi o Amrita (palavra em sânscrito que significa imortalidade) – mas o local ficou mais famoso pelas regras malucas do que pela comida.

O local aceitava apenas pessoas de até 60 anos, que não estivessem muito acima do peso e que não fossem tatuadas. Os clientes deveriam usar roupas íntimas feitas de papel e não poderiam nem encostar nem conversar com outros comensais.

Os telefones celulares dos clientes ficavam trancados em um cofre durante todo o o jantar – que não era exatamente acessível. Cada degustação custava US$ 750 (cerca de R$ 3.500) por pessoa e deveria ser paga antecipadamente.

As restrições, especialmente as relacionadas ao peso e a idade, porém, foram muito criticadas e fizeram um estrago considerável na imagem do Amrita. O restaurante chegou a permitir que pessoas acima do peso e de até 120 anos frequentassem o restaurante, mas as mudanças foram feitas tarde demais.

Com a imagem totalmente destruída, o Amrita praticamente sumiu da internet. É possível encontrar algumas menções ao restaurante em notícias antigas, mas tudo o mais relacionado à existência do local desapareceu.

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.222 outros assinantes

ÚLTIMAS