26 maio 2022 12:26
26 maio 2022 12:26

Bombeiros enfrentam dificuldades em buscas por soldado do Exército que desapareceu em rio no AC

Por Redação Ecos da Notícia

Soldado desapareceu após embarcação que ele trafegava apresentar pane em motor e afundar. Fábio Rodrigo dos Santos Benjamin foi levado pela correnteza nesse domingo (3).

Bombeiros enfrentam dificuldades em buscas por soldado do exército que desapareceu em rio no AC devido a correnteza.

O Corpo de Bombeiros segue pelo segundo dia nas buscas pelo soldado do Exército Fábio Rodrigo dos Santos Benjamin e enfrenta dificuldade devido à correnteza provocada pela elevação do rio Amônia, em Marechal Thaumaturgo, no interior do Acre.

Benjamin desapareceu após a embarcação em que estava afundar no Rio Amônia na madrugada desse domingo (3). Ele foi levado pela correnteza. Além dele, outros dois militares e o condutor também estavam no barco, mas conseguiram nadar até uma embarcação que tinha próximo ao local.

“Já tínhamos deslocado uma equipe para Marechal com quatro mergulhadores, no sábado [2], para fazer buscas de uma embarcação que tinha naufragado e, no domingo [3], teve esse acidente com o militar e eles direcionaram as buscas por ele. Enviei mais um mergulhador para coordenar e reforçar para que eles consigam fazer as duas buscas ao mesmo tempo”, explicou o comandante do Bombeiros, Josadac Cavalcante.

O comandante explicou que a dificuldade para fazer as buscas é devido a forte chuva que atingiu a região no final de semana e elevou o nível do rio e fez com que a correnteza ficasse mais forte.

“Ali em Thaumaturgo o rio sobre muito rápido e, como o acidente foi mesmo na foz do Amônia com o Juruá, é uma região de muita correnteza, águas muito turbulentas e a dificuldade de mergulho é muito grande e como o rio estava correndo muito, ontem eles tiveram muita dificuldade devido a correnteza”, pontuou.

Cavalcante disse que para o mergulho ocorrer de forma segura é preciso que o mergulhador consiga se mover dentro do rio com o equipamento que pesa entre 30kg a 40kg e ter controle dos movimentos.

“Então, ontem foram várias tentativas de se manter no fundo do rio, mas não conseguiram. Hoje, o rio baixou mais e eles estão tentando executar os mergulhos. O problema é o controle do deslocamento e se não tiver o controle, não posso mergulhar porque de repente ele pode se tocar com uma galhada e acontecer um acidente, ficar inconsciente, então o protocolo é que se o mergulhador chega ao fundo do rio e consegue ficar parado e se deslocar só quando quiser é possível fazer o trabalho”, pontuou.


Militar caiu no encontro dos Rios Amônia e Juruá — Foto: Antônio José/Arquivo pessoal/Ilustração

Acidente

A informação do acidente foi confirmada por um comunicado emitido pelo 61° BIS no domingo. Que informou nesta segunda que também apoia nas buscas, equipes da Marinha. Segundo informações do Batalhão, os militares cumprem missão de patrulhamento no Destacamento Especial de Fronteira de Marechal Thaumaturgo. Eles estavam de folga e retornavam para a base.

“A embarcação do tipo bajola virou no encontro das águas dos Rios Amônia e Juruá, devido à pane do motor e às fortes correntezas típicas na região nesta época do ano”, diz o comunicado.

Após os três que conseguiram nadar, chegarem à base e informar o ocorrido, uma embarcação deu início as buscas para verificar se o militar estava próximo à alguma margem ou ao longo do leito dos rios.

O batalhão informou que as buscas continuam. E também pontuou que será instaurado procedimento administrativo para apurar a circunstância dos fatos.

Fonte: G1ACRE

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.265 outros assinantes

ÚLTIMAS