6 julho 2022 12:10
6 julho 2022 12:10

Com o apoio do governo, projeto Dois Sóis leva arte e literatura ao Papoco, em Rio Branco

Por Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Dois Sóis é um projeto idealizado pela multiartista Roberta Marisa, na área de arte, patrimônio e publicação. A proposta faz parte da segunda fase da Lei Aldir Blanc, realizada pelo governo do Estado do Acre, por meio da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM).


Multiartista Roberta Marisa foi a proponente do projeto Dois sóis. Foto: arquivo pessoal

A iniciativa propôs uma oficina de construção literária com a comunidade do Papoco, bairro de Rio Branco, levando poesia e literatura para uma localidade mais desfavorecida. Para a execução da atividade, Roberta convidou artistas que, assim como ela, integram o cenário da arte e da literatura do estado, como a poetisa Francis Mary, a Bruxinha; o ator Ivan de Castela e Alessandro Borges, o poeta da Baixada.


Crianças da comunidade do Papoco, em Rio Branco, participaram do projeto. Foto: Drone Acre

Para a realização da oficina, foi necessária cerca de uma semana para que a comunidade se familiarizasse com os artistas. A metodologia utilizada pela artista foi a de arte-educação, buscando por meio disso disponibilizar os conteúdos para outros públicos, contemplando toda a comunidade com a ação.

As dinâmicas envolveram pintura e teatro, para atrair os adolescentes ao universo artístico. Já a partir da colagem de letras e palavras, eles iniciaram sua própria produção literária.


Crianças da comunidade do Papoco, em Rio Branco, participaram do projeto. Foto: Drone Acre

Ao longo do processo de execução da proposta, a escritora percebeu que ação envolvia vários processos, e alguns deles culminam no lançamento da Revista Dois Sóis e num livro com o mesmo nome, evento previsto para o mês de abril.

A nomenclatura do projeto faz referência à realidade da comunidade do Papoco, que reside na parte central da cidade e que, para a autora, não é vista como um lugar de se fazer arte.

“É o mesmo sol para todos?”, questiona então Roberta, trazendo as dualidades sociais em seu livro, por meio de memórias, e na revista abre espaço para as produções e fotografias realizadas no bairro durante a oficina.


Oficina de construção literária com a comunidade do Papoco. Foto: Drone Acre

A escritora acredita que fez algo novo pelo bairro ao incentivar a leitura e a escrita e destaca planos para o futuro: “Quero incentivar outras cabecinhas pensantes para verem a literatura como um sonho possível”.

A autora relata que, quando elaborou a proposta, pensou no Papoco porque sempre verificava projetos em bairros conhecidos, mas nunca ali, por ser visto como uma região perigosa da capital acreana. E complementa: “Nada limita onde a arte pode chegar”.


Artistas acreanos foram convidados a participar da oficina. Foto: Drone Acre

Fonte: Agência do Acre

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.801 outros assinantes

ÚLTIMAS