17 agosto 2022 11:29
17 agosto 2022 11:29

Mulher que foi flagrada por sobrinho matando homem a facadas no AC tem prisão preventiva decretada

Por Da Redação Ecos da Notícia

- Publicidade -

Maria de Jesus Barroso Rufino, de 40 anos, que foi vista pelo sobrinho enquanto matava um homem a golpes de faca dentro de casa, teve a prisão em flagrante convertida em preventiva nessa sexta-feira (18) após audiência de custódia, em Rio Branco.

Na delegacia, ela negou participação no crime e disse que tinha passado aquela noite em um motel da cidade consumido drogas. Maria chegou a confirmar que conhecia a vítima, mas que não sabia nem seu nome e o que tinha acontecido. O g1 não conseguiu contato com a defesa da suspeita.

O crime ocorreu na noite dessa quarta-feira (16) no bairro Areal, região do Segundo Distrito de Rio Branco. A vítima segue sem identificação no Instituto Médico Legal (IML).

Sobrinho denunciou crime

Um sobrinho de Maria procurou a polícia para denunciar que flagrou a tia matando com golpes de faca uma outra pessoa dentro de casa.

O rapaz relatou à polícia que tinha ido dormir na casa da tia porque tinha uma audiência. E, ao chegar na casa da mulher, a porta estava aberta, som alto e quando entrou, viu a tia dando um golpe de faca no peito de um homem enquanto outro segurava as mãos da vítima.

Ainda segundo da polícia, o sobrinho disse que quando a mulher viu que ele tinha presenciado o crime, ainda foi em direção a ele para tentar matá-lo, mas a faca teria apenas rasgados sua calça.

Ele, então, correu e pediu ajuda para seguir até o Centro de Rio Branco. Ao chegar no Terminal Urbano, o rapaz encontrou policiais e relatou o que tinha acontecido. Ao chegarem no endereço indicado, os militares acharam a vítima já sem vida e enrolada em um pano. Horas depois, a mulher foi presa em uma área de mata.

Relatório social

Maria de Jesus recebeu atendimento psicossocial após a prisão e, segundo relatório informativo de condições sociais e pessoais, ela relatou que tem sete filhos, sendo somente um menor de 7 anos que mora com o pai.

Ela afirmou que mantém contato com o filho de forma regular, pois mora no mesmo bairro e que mora sozinha em uma casa de madeira.

A suspeita disse ainda que não está em situação de rua, porém, é usuária de crack e passa muito tempo na rua vigiando carros para poder comprar drogas e alimento. O relatório aponta ainda que ela se considera dependente química, mas nunca teve interesse em fazer tratamento.

Fonte: G1 Acre

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS