6 julho 2022 2:29
6 julho 2022 2:29

BC russo diz que situação é dramática e tenta evitar asfixia e quebradeira no mercado financeiro

A Bolsa de Moscou foi fechada para a maior parte de seus negócios e não deve abrir nesta terça-feira (1°)

Por Metro 1

- Publicidade -

O preço da ação do maior banco russo, Sverbank,  negociada na Bolsa de Londres caiu mais de 73%. A instituição financeira é o maior alvo de sanções do “Ocidente”. Sua subsidiária austríaca, o Sverbank Europe, “está falindo ou deve falir” por causa de saques em massa, segundo comunicado do Banco Central Europeu. A Bolsa de Moscou foi fechada para a maior parte de seus negócios e não deve abrir nesta terça-feira (1°).

Segundo a Folha de São Paulo, empresas e investidores passaram a ser obrigados a vender moeda “forte” (dólares, euros etc.) ou foram impedidos de vender ativos para sair do país. A partir desta terça-feira, russos não podem mais fazer remessas ou empréstimos para o exterior, decidiu também Vladimir Putin, que chamou essas medidas defensivas amargas de “contra-sanções”. No conjunto, trata-se de controle de fluxo de capitais, como se diz no jargão: providências típicas de países em crise externa violenta, quase asfixia.

“A situação da economia russa mudou dramaticamente” por causa das “sanções impostas por estados estrangeiros”, disse a presidente do BCR, Elvira Nabiullina a jornalistas. É “totalmente anormal”. Em estudo detalhado sobre os efeitos das sanções, o Institute of International Finance acredita que as retaliações vão provocar uma queda do PIB russo neste ano, entre outras previsões sombrias.

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.850 outros assinantes

ÚLTIMAS