22 maio 2022 3:00
22 maio 2022 3:00

“Sempre acreditei que ia dar certo”, conta Tomate sobre a carreira no futebol

Por A Gazeta do Acre

Goleiro acreano que ficou famoso no início de janeiro ao chorar após substituição fala sobre os planos do futuro.
Com mais de 500 mil seguidores nas redes sociais, Tomate avalia propostas para jogar em times fora do estado.
Com apenas 18 anos e 1,86m de altura, o goleiro acreano Eduardo da Silva, o Tomate, comemora as mudanças de sua vida nas últimas semanas e faz planos para o futuro. O jogador que ficou famoso, literalmente, da noite para o dia após seu choro durante o jogo do Andirá contra o Atlético (MG), na Copa São Paulo de Futebol Júnior, conversou com o site A Gazeta do Acre sobre o momento que está vivendo.
Nascido e criado na região da Baixada da Sobral, em Rio Branco, Tomate começou a jogar futebol no time do Rio Branco aos 12 anos, em 2015. Também passou pelo Independência e pelo Galvez antes de chegar no Andirá. Mas foi no primeiro time que surgiu seu apelido, durante uma pausa no treino para beber água.
“Rio Branco não tem um clima tão agradável, eram duas horas e o sol estava tinindo. Fui tomar um copo d’água e os meninos olharam e falaram ‘Oh, parece um tomate’, aí pegou. (…) Estava vermelho… e assim foi”, recorda.
Foi no dia 5 de janeiro de 2021, que o apelido ficou conhecido não só no estado como em todo o país. Tomate foi substituído antes de uma cobrança de pênalti, no segundo tempo do jogo, em Lins, São Paulo. O goleiro foi para o banco de reserva e não resistiu ao choro.
“A gente tinha conversado sobre a substituição, mas não alí… na reunião que a gente teve falamos sobre essas coisas, que eu iria jogar um tempo, o outro um tempo, porque era o último jogo televisionado”, conta.
A cena que foi registrada em TV e viralizou com apoio de jogadores famosos como Richarlison e Everton. Em pouco tempo ele ganhou milhares de seguidores no Instagram e hoje já possui cerca de 588 mil. Além disso recebeu um convite pelo time adversário, o Atlético-MG para fazer um teste no clube. Ele também recebeu um convite pelo Botafogo e conta que ainda estão estudando a melhor oportunidade.
“Eu sempre acreditei que ia dar certo, se fosse escutar as pessoas que não queriam que eu ficasse no futebol… mas sempre fui um cara de fé, nunca deixei de ter essa fé que tenho hoje (…) Minha vida mudou bastante, uma correria… Mas graças a Deus já tive um pequeno valor para ajudar minha família. Graças a Deus as coisas foram fluindo”, afirma.
Bastante religioso, Tomate acredita que sua fama ‘repentina’ é resultado da sua fé em Deus. “Tudo isso que Deus está fazendo é para mostrar para essa geração que ele sabe fazer as coisas de um dia para noite. Porque tem muito jovem que ainda n tem essa confiança em Deus, não tem esse entendimento que eu tenho. Querendo ou não, com 18 anos é difícil ser cristão. A gente tem que pagar um preço, renunciar”, defende.
Passado x Futuro
De família humilde, Tomate recorda sua maior dificuldade como atleta no Acre. Sem transporte, ele ia andando por quase uma hora de casa para o Clube do Juventus, onde treina. “Eu ia para o treino a pé. Ia para a academia de manhã e voltava para casa. Mal tomava banho e ia da baixada ia para o Juventus. (…) “Eu quero manter o foco, porque sempre fui uma pessoa dedicada (…) Sempre foi isso que eu quis fazer. Sempre joguei por amor”, relata.
O esforço valeu e a paixão de infância se transforma em oportunidade de transformação aos poucos. Hoje, com grandes propostas de trabalho ele declara que seu maior sonho, no momento, é poder mudar a condição financeira dos pais, além de comprar uma casa para eles. Com relação ao futebol, os planos também são altos. “Pretendo jogar fora (do Acre) e, se Deus abençoar, até internacionalmente”, afirma.

“Sempre joguei por amor”, Tomate comenta sobre sua relação com o futebol.
Com relação aos milhares de seguidores, mesmo com a rotina corrida, ele promete que vai se esforçar para mantê-los atualizados. “Vou tentar deixar o pessoal por dentro, ver como é minha rotina. Querendo ou não, o pessoal quer conhecer minha história, como é a rotina dos treinos… Vou tentar dar um jeito”, comenta Tomate.
E para outros acreanos que também buscam uma oportunidade, ele deixa sua dica: “Continuar trabalhando! Se você quer ter algo na vida e, se tiver uma concorrência, se ela acordar 7h você acorda às 6h, se ele acordar às 6h, você acorda 5h. Você tem que trabalhar o dobro para ter o objetivo q você quer alcançar”, afirma o goleiro.
Veja a entrevista em vídeo:

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.232 outros assinantes

ÚLTIMAS