2 janeiro 2022 9:05 am
26.3 C
Rio Branco
2 janeiro 2022 9:05 am

Sem resultados conclusivos, estudo da Butanvac é um desafio para 2022

Como imunizante foi desenvolvido após campanha de vacinação contra Covid ter iniciado, há dificuldades em encontrar voluntários para testes

da Redação Ecos da Notícia
-------- Continua depois da Publicidade--------

Anunciada em março como a primeira vacina contra a Covid-19 de produção 100% nacional, a Butanvac, do Instituto Butantan, terminou 2021 ainda longe de ter seus testes concluídos.

O Butantan espera que ela seja testada e disponibilizada ao público ainda em 2022, como uma complementação à Coronavac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac e distribuída no Brasil pelo instituto paulista.

A ideia é ampliar o portfólio de imunizantes que o laboratório terá para oferecer ao Ministério da Saúde ou aos estados, já que é provável que a vacinação contra a Covid-19 precise ser repetida todos os anos, e que sejam necessários antígenos atualizados para conter eventuais mutações – assim como é feito com a vacina contra a gripe.

O Butantan espera que ela seja testada e disponibilizada ao público ainda em 2022, como uma complementação à Coronavac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac e distribuída no Brasil pelo instituto paulista.

A ideia é ampliar o portfólio de imunizantes que o laboratório terá para oferecer ao Ministério da Saúde ou aos estados, já que é provável que a vacinação contra a Covid-19 precise ser repetida todos os anos, e que sejam necessários antígenos atualizados para conter eventuais mutações – assim como é feito com a vacina contra a gripe.

Quando anunciada, o governador João Doria (PSDB) afirmou que haveria resultados da Butanvac até outubro. Agora, entretanto, já não existe mais um prazo definido: o estudo enfrenta problemas para encontrar voluntários.

O motivo é o avanço na imunização dos brasileiros. Diferentemente dos antígenos em uso, como Coronavac, AstraZeneca e Pfizer, a vacina do Butantan começou a ser desenvolvida quando a campanha já havia sido iniciada no Brasil.

Inicialmente, a ideia era comparar a eficácia da Butanvac em pessoas não vacinadas. Depois, em comparação com a Coronavac. Mas as pessoas foram se imunizando e o objetivo passou a ser avaliar o desempenho da nova vacina como dose de reforço.

Em novembro, entretanto, o Ministério da Saúde anunciou que toda a população maior de 18 anos poderia receber a dose adicional. Com isso, o Butantan agora avalia como vai prosseguir em seus testes.

Fonte: Metrópoles

-------- Continua depois da Publicidade--------
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS