5 janeiro 2022 8:37 am
25.3 C
Rio Branco
5 janeiro 2022 8:37 am

Brasileiro rouba identidade e trabalha como comissário por 23 anos nos EUA

Da Redação Ecos da Notícia
-------- Continua depois da Publicidade--------

O brasileiro Ricardo Cesar Guedes foi acusado de roubar a identidade de William Ericson Ladd, um americano já falecido. De acordo com a denúncia apresentada contra Ricardo nos Estados Unidos, o brasileiro conseguiu emitir um passaporte em nome do americano e trabalhou como comissário da United Airlines por 23 anos.

Conforme o site Business Insider, o Ladd nasceu em 1974 e morreu em um acidente de carro em 1979. Já Ricardo nasceu em São Paulo em 1972 e assumiu a identidade de Ladd em 1998, quando se candidatou com sucesso a um passaporte americano usando o nome falso.

Desde então o brasileiro conseguiu renovar o passaporte seis vezes. Até que em dezembro de 2020, o Departamento de Estado identificou “vários indicadores de fraude”. Como trabalhava como comissário, Ricardo conseguia driblar os procedimentos de imigração embarcando como “tripulante conhecido” e contornando a maioria das verificações de segurança.

Em julho de 2021, com o avanço das investigações, a mãe de Ladd, Debra Lynn Hays, prestou depoimento e confirmou o nascimento e a morte do menino aos agentes. Os investigadores também conseguiram por meio das digitais do homem rastrear sua identidade até o Brasil.

Em nota ao Business Insider, a companhia aérea United Airlines afirmou que Ricardo já não estava na empresa. “A United tem um processo de verificação completo para novos funcionários que está em conformidade com os requisitos legais federais”, diz o comunicado.

Ricardo foi acusado de fornecer declaração falsa em pedido de passaporte, falsamente se passar por um cidadão americano e entrar na área restrita do aeroporto sob falsos pretextos. O brasileiro foi preso no aeroporto após antes de embarcar em um voo segurando um telefone que dizia “iPhone de Eric” na tela. Segundo o Business Insider, o advogado que representa o brasileiro não quis comentar o caso.

Fonte: IstoÉ 

-------- Continua depois da Publicidade--------
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS