12 janeiro 2022 3:16 pm
28.3 C
Rio Branco
12 janeiro 2022 3:16 pm

Após mais de 10 dias internado e duas fugas, Nego Bau segue intubado e aguarda vaga em UTI no Acre

G1 ACRE
-------- Continua depois da Publicidade--------

Nego Bau está intubado na sala de recuperação pós anestésica doPS e aguarda vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Nego Bau segue internado no PS com costelas fraturas e suspeita de tuberculose.

Após fugir duas vezes do Pronto Socorro de Rio Branco, o morador de rua Renan Souza, mais conhecido como Nego Bau, está intubado na sala de recuperação pós anestésica do hospital e aguarda vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), segundo informou a direção.

Ele deu entrada no Pronto-socorro de Rio Branco no dia 30 de dezembro com um dedo amputado. Na unidade de saúde, ele passou a usar um dreno no pulmão devido uma perfuração no órgão. Ele também está com suspeita de tuberculose e tem fraturas nas costelas. Segundo o MP-AC, ele foi achado ferido em via pública e teria sido agredido.

O PS informou que o quadro dele é estável nesta quarta-feira (12).

Mesmo com dreno, Nego Bau fugiu duas vezes do pronto socorro. Na segunda (3), ele foi levado novamente pelo Serviço de Atendimento de Urgência (Samu) para a unidade hospitalar. O Samu informou que Bau foi achado desmaiado na parada final de ônibus do bairro Sobral, na Central de Abastecimento de Rio Branco (Ceasa).

Após estas fugas, o Ministério Público do Acre (MP-AC) e representantes das secretarias de Saúde, de Assistência Social e Direitos Humanos estadual e municipal alinham estratégias para ajuda-lo. As tratativas são feitas pelo Núcleo de Apoio e Atendimento Psicossocial (Natera) do MP-AC.

Nego Bau é um dos personagens mais conhecidos da capital acreana. Ele tem transtornos psiquiátricos e também é viciado em drogas. Ele ficou conhecido porque vive perambulando pelas ruas da capital. Ultimamente, muitos relatos de moradores diziam que ele tinha surtos de agressividade.

Acompanhamento

O MP-AC divulgou que acompanha o caso do morador de rua e, por isso, sentou com os gestores responsáveis pelas áreas da saúde, assistência social e direitos humanos do Acre e Rio Branco para discutir soluções conjuntas de intervenção.

Diante da situação crítica, o MP-AC informou que foram levantadas algumas hipóteses que possam dar maior efetividade ao caso, que vai desde o diálogo com o morador de rua, à internação involuntária, avaliação psiquiátrica e clínica médica no PS, eventual contenção e a participação da família no tratamento.

O MP-AC encaminhou também ofício para as Secretarias de Saúde do Acre (Sesacre), de Rio Branco (Semsa) e às Secretarias de Assistência Social e de Direitos Humanos do estado e município solicitando informações sobre o que está sendo feito e como esses órgãos podem ajudar.

“O MP interveio porque é atribuição da instituição a defesa de direitos humanos. E o caso é de extrema complexidade, pois se trata de uma pessoa em situação de hipervulnerabilidade. Então, a intervenção do MP era absolutamente necessária, e se deu tão logo chegou a notícia sobre os fatos”, disse a promotora de Justiça Meri Cristina do Amaral.

O que dizem as secretarias

O Núcleo de Saúde Mental da Sesacre disse que teve uma reunião com o Natera, uma promotoria de Justiça do MP, direção do PS, leito de saúde mental, o serviço social do PS, núcleo de saúde mental da Sesacre, o departamento de atenção primária em Saúde e outros gestores de saúde e direitos humanos para discutir a situação de Nego Bau.

Na reunião ficou acordado que Bau vai continuar internado no PS, preferencialmente em um leito no térreo, e em isolamento devido à suspeita de tuberculose apontada em um exame de raio-X no tórax. Além disso, ele deve fazer, em conjunto, avaliações com um psiquiatra e um clínico para diálogo e prescrição da medicação adequada.

“Foi falado em contenção mecânica, contenção química, que é a medicamentosa, porque ele é um paciente que precisa ficar lá, precisa minimamente estabilizar o quadro dele para poder dar continuidade no tratamento fora do pronto-socorro. Também fazer uma avaliação da necessidade dessas contenções, tem uma proximidade com a família, aproximar a família do contexto dele junto com a equipe também. Haverá outras reuniões para fazer a sequência de acordo com a necessidade”, explicou a técnica do Núcleo de Saúde Mental, Yara Costa.

A Prefeitura de Rio Branco informou que as Secretarias de Assistência Social e Direitos Humanos (Sasdh) e de Saúde municipal (Semsa) têm auxiliado e mantido o diálogo para ajudar o paciente. Afirmou que tem “realizado e assegurado o atendimento com todos os serviços do SUAS para ele e a família, como para todas as pessoas que estão em vulnerabilidade social, na perspectiva de recuperação e fortalecimento de vínculos familiares, para que, assim, possamos ter êxito.”

A Sasdh disse que na quinta (6) foi feita uma visita à família do paciente, mas que os parentes dele e ele são acompanhados há muito tempo pelas equipes. A assistente social do PS falou que, na quinta, Bau está tranquilo e é acompanhado por um sobrinho na unidade de saúde.

-------- Continua depois da Publicidade--------
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS