16 maio 2022 11:17
16 maio 2022 11:17

Acre confirma mais 166 casos novos de Covid-19 e número de infectados chega a mais de 89,8 mil

Por G1 Acre

Seguindo sem registrar mortes por Covid-19 neste domingo (16), o boletim da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) registrou 166 casos novos da doença em todo o estado, fazendo o número de infectados sair de 89.635 para 89.801. Já o número de vítima fatais no estado permanece em 1.854.
Ao todo, três exames estão à espera de análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) e 86.374 pessoas receberam alta médica desde o inicio da pandemia.
Número de casos de Covid-19 por cidades do Acre
Cidades Casos de Covid
Acrelândia 1.801
Assis Brasil 1.837
Brasileia 3.069
Bujari 1.173
Capixaba 676
Cruzeiro do Sul 7.940
Epitaciolândia 1.622
Feijó 3.344
Jordão 707
Mâncio Lima 2.992
Manoel Urbano 907
Marechal Thaumaturgo 1.372
Plácido de Castro 1.807
Porto Acre 1.561
Porto Walter 554
Rio Branco 39.558
Rodrigues Alves 1.019
Santa Rosa 1.014
Sena Madureira 5.954
Senador Guiomard 1.215
Tarauacá 6.615
Xapuri 3.064
Total 89.801
Fonte: Sesacre
Em todo o estado há 19 pessoas internadas, sendo 16 com teste positivo. A taxa de ocupação da UTI nas unidades de saúde é de 25%. Dos 20 leitos existentes, cinco estão ocupados. São 10 leitos de UTI em Rio Branco e 10 em Cruzeiro do Sul.
Desde que a base de dados voltou a funcionar, na terça (11), o Acre teve um boom de casos, totalizando, até este sábado, 1.361 novos infectados.
Com o aumento no número de casos, as unidades de saúde voltaram a ficar lotadas em Rio Branco. A busca por testes em farmácias também aumentou.
Chegada de vacinas para crianças
Os municípios do Acre já começaram a receber as vacinas contra a Covid-19 destinadas a crianças de 5 a 11 anos. O primeiro lote com 7,2 mil doses da vacina da Pfizer destinado a este público chegou ao Acre na noite dessa sexta-feira (14), por volta das 22h20 no horário local. A vacinação para este público começa em todo o estado na segunda (17), a partir das crianças de 11 anos.
A gerente do Programa Nacional de Imunização (PNI) no Acre, Renata Quiles, informou que a distribuição começou ainda na madrugada deste sábado (15) e que os quatro municípios isolados do estado – Jordão, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter e Santa Rosa do Purus – vão receber o imunizante na segunda (17) por via aérea.

A capital acreana vai disponibilizar cinco unidades de saúde para imunizar as crianças de 5 a 11 anos. A informação foi confirmada pela chefe do Departamento de Vigilância Epidemiológica de Rio Branco, Socorro Martins.
Baixa internação
Mesmo confirmando a terceira onda de Covid em todo o estado, a secretária de Saúde do Acre, Paula Mariano, disse que a vacina tem contribuído para a redução dos casos graves e internações e afirmou que ficam mantidos no estado o uso de máscaras e dos demais cuidados para prevenção da doença. Ela pontuou também que ainda não foi confirmado nenhum caso da variante Ômicron.
“Tivemos um aumento significativo do número de casos nesse início de janeiro, mas, graças a Deus, com a vacinação, nós não temos tido casos com maior gravidade. O atendimento de porta de entrada aumentou, mas as internações de UTI tem se mantido nessa média de 3 a 4 pacientes e dos que estão internados não estão vacinados e alguns que tem a vacina é a primeira dose. E um com as três, mas o paciente tem idade mais avançada”, pontuou.
A secretária informou ainda que o estado está em análise epidemiológica, e que os óbitos e internações em UTI são os fatores com maior peso para a reavaliação de faixa do estado que está atualmente na bandeira amarela, conforme a última nota técnica do Comitê de Acompanhamento da Covid-19, divulgado no dia 24 de dezembro.
No Into, hospital de referência, Paula pontuou que na quinta-feira (13), chegou a mais de 300 atendimentos, porém com poucas interações e que isso ocorre devido a vacinação.
Uso de máscara
Em dezembro do ano passado, o governado do estado, Gladson Cameli, tinha estendido o uso da máscara até o dia 15 de janeiro, quando deveria ter uma outra avaliação, mas a nova classificação de bandeira deve ser feita somente no final do mês. Então, fica mantida a necessidade do uso do EPI
“Não tem como a gente parar com as orientações de evitar aglomeração, uso de máscara, álcool, a gente quer continuar com a economia. Não dá para a gente chegar num lugar e falar que vai fechar tudo. Então, dependemos da colaboração da população e por isso que falamos: Vacinação, uso de máscara, manutenção dos cuidados, lavagem de mãos, evitar aglomeração para que a gente continue andando com a saúde e financeiramente”, pontuou.

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.190 outros assinantes

ÚLTIMAS