30 dezembro 2021 4:59 pm
29.3 C
Rio Branco
30 dezembro 2021 4:59 pm

Em meio a surto de gripe, Acre está sem estoque de vacina contra a Influenza

Acre Notícias
-------- Continua depois da Publicidade--------

Em meio a um surto de síndrome gripal e consequente aumento nos atendimentos em unidades hospitalares, o Programa Nacional de Imunização (PNI) no Acre informou que o estoque de vacina contra a Influenza acabou no estado. A informação foi confirmada ao g1 nesta quinta-feira (30) pela coordenadora Renata Quiles.

INÍCIOCIDADESACREAMAZÔNIAPOLÍTICAJORNAIS LOCAISPOLÍTICA DE PRIVACIDADETERMOS DE USOCONTATO
NOSSAS REDES


Acre Notícias
ACREEm meio a surto de gripe, Acre está sem estoque de vacina contra a InfluenzaPUBLICADO 5 horas atrásem 30 de dezembro de 2021Por: Editorial do Acre.com.br – Da Amazônia para o Mundo!

SHARETWEET
Em meio a um surto de síndrome gripal e consequente aumento nos atendimentos em unidades hospitalares, o Programa Nacional de Imunização (PNI) no Acre informou que o estoque de vacina contra a Influenza acabou no estado. A informação foi confirmada ao g1 nesta quinta-feira (30) pela coordenadora Renata Quiles.

A campanha de vacinação contra a Influenza começou no Acre ainda em abril deste ano, inicialmente para o público-alvo, que era de 309.670 pessoas. Em julho, com uma cobertura vacinal abaixo de 20%, o governo do Acre decidiu ampliar a vacinação para toda a população acima de seis meses de idade.

Ao todo, o estado recebeu um total de 315 mil doses da vacina este ano e, segundo informou Renata, durante esses oito meses, todo o lote foi usado.

Agora, o estado aguarda o envio de novas doses quando o Ministério da Saúde abrir novamente a campanha de imunização contra a Influenza.

“Lembrando que é a nível nacional que todos os estados recebem certa quantidade de doses. O envio de doses é apenas uma vez [no ano], tendo como base o público-alvo da campanha”, afirmou Renata.

Epidemia na capital
A Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco confirmou que a capital enfrenta situação de epidemia do vírus Influenza A. Ao todo, 72 amostras de casos positivos de Influenza A foram encaminhadas para o Instituto Evandro Chagas, em Belém, para identificar qual tipagem do vírus.

O surto tem provocado aumento nos atendimentos nas unidades de saúde do município. Somente em uma semana, os atendimentos de infecções respiratórias saltaram de 555 para 1.331, o que representa um aumento de 240%.

Com o surto de gripe e aumento na procura pela vacina contra Influenza, a coordenadora do Departamento de Vigilância Epidemiológica, Socorro Martins, afirmou que o estoque de vacina também acabou na capital acreana.

“Nosso quantitativo nós recebemos em março e ficamos esses meses todos vacinando. E agora com essa crise, esse aumento de casos da síndrome gripal, as pessoas correram atrás dessa vacina. Nossa rede onde ficam estocadas as vacinas nós já zeramos, as doses que tem são as que estão nas unidades e provavelmente até o final da tarde acabam também. Não temos expectativa para receber mais doses por agora. Em fevereiro deve chegar a outra vacina que contempla esse vírus que está circulando”, afirmou Socorro.

Medidas de prevenção



Acre Notícias
ACREEm meio a surto de gripe, Acre está sem estoque de vacina contra a InfluenzaPUBLICADO 5 horas atrásem 30 de dezembro de 2021Por: Editorial do Acre.com.br – Da Amazônia para o Mundo!

SHARETWEET
Em meio a um surto de síndrome gripal e consequente aumento nos atendimentos em unidades hospitalares, o Programa Nacional de Imunização (PNI) no Acre informou que o estoque de vacina contra a Influenza acabou no estado. A informação foi confirmada ao g1 nesta quinta-feira (30) pela coordenadora Renata Quiles.

A campanha de vacinação contra a Influenza começou no Acre ainda em abril deste ano, inicialmente para o público-alvo, que era de 309.670 pessoas. Em julho, com uma cobertura vacinal abaixo de 20%, o governo do Acre decidiu ampliar a vacinação para toda a população acima de seis meses de idade.

Ao todo, o estado recebeu um total de 315 mil doses da vacina este ano e, segundo informou Renata, durante esses oito meses, todo o lote foi usado.

Agora, o estado aguarda o envio de novas doses quando o Ministério da Saúde abrir novamente a campanha de imunização contra a Influenza.

“Lembrando que é a nível nacional que todos os estados recebem certa quantidade de doses. O envio de doses é apenas uma vez [no ano], tendo como base o público-alvo da campanha”, afirmou Renata.

Epidemia na capital
A Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco confirmou que a capital enfrenta situação de epidemia do vírus Influenza A. Ao todo, 72 amostras de casos positivos de Influenza A foram encaminhadas para o Instituto Evandro Chagas, em Belém, para identificar qual tipagem do vírus.

O surto tem provocado aumento nos atendimentos nas unidades de saúde do município. Somente em uma semana, os atendimentos de infecções respiratórias saltaram de 555 para 1.331, o que representa um aumento de 240%.

Com o surto de gripe e aumento na procura pela vacina contra Influenza, a coordenadora do Departamento de Vigilância Epidemiológica, Socorro Martins, afirmou que o estoque de vacina também acabou na capital acreana.

“Nosso quantitativo nós recebemos em março e ficamos esses meses todos vacinando. E agora com essa crise, esse aumento de casos da síndrome gripal, as pessoas correram atrás dessa vacina. Nossa rede onde ficam estocadas as vacinas nós já zeramos, as doses que tem são as que estão nas unidades e provavelmente até o final da tarde acabam também. Não temos expectativa para receber mais doses por agora. Em fevereiro deve chegar a outra vacina que contempla esse vírus que está circulando”, afirmou Socorro.

Medidas de prevenção

Vacinação anual contra a influenza, uma vez que a vacina é a intervenção mais importante para evitar casos graves e mortes pela doença.

Vacinação contra a COVID-19 conforme Plano Nacional de Vacinação

Intensificar as medidas que evitam a transmissão dos vírus respiratórios

Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de Síndrome Gripal

Evitar sair de casa em período de transmissão da doença (podendo ser por um período de até 7 dias após o início dos sintomas).

Evitar aglomerações e ambientes fechados (procurar manter os ambientes ventilados)

Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

Orientar o afastamento temporário (trabalho, escola etc.) até 48 horas após cessar os sintomas.

Buscar atendimento médico em caso de sinais e sintomas compatíveis com a doença.

com informações de G1Acre

-------- Continua depois da Publicidade--------
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS