18 maio 2022 4:22
18 maio 2022 4:22

ALERTA: Gripe H3N2 mata quatro pessoas em Rondônia, diz Sesau

Por Rondoniaaovivo

Informação foi confirmada pelo titular do órgão; Três mortos tinham acima dos 60 anos e ainda há uma criança de quatro anos entre as vítimas.
Na manhã desta segunda-feira (27), o secretário estadual de Saúde, Fernando Máximo, confirmou que quatro pessoas morreram por causa do surto de gripe (influenza H3N2) que está acontecendo em Rondônia desde o começo de dezembro.
Segundo ele, as mortes aconteceram ainda neste mês e as vítimas foram uma mulher de 66 anos, dois homens (um de 60 e outro de 80 anos) e ainda uma criança de 4 anos de idade.
Ainda de acordo com a Sesau, já foram registrados aproximadamente 1.100 casos da gripe no estado.
“Infelizmente, tanto no público infantil quanto no adulto, tivemos uma baixa adesão à vacinação da gripe neste ano. As pessoas se vacinaram contra a Covid, mas deixaram de se proteger contra a gripe. Esse é um dos motivos para esse aumento dos casos da influenza em Rondônia este ano. Ano passado as pessoas estavam usando muita máscara e tinham se vacinado contra a gripe”, destacou Fernando Máximo.
Gravidade

Ainda nesta segunda-feira (27), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) divulgou a internação de 26 pessoas com o vírus da gripe. Desse total, sete estão na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) em estado grave.
Entre os pacientes que estão na UTI, há duas crianças: uma de 2 anos e outra de 6 meses.
“Então eu quero fazer um convite para que as pessoas procurem uma unidade de saúde e se vacinem. Esse imunizante contra a gripe pode ser tomado a partir dos seis meses de vida. Idosos, inclusive as grávidas, podem ser vacinados. Se quiser tomar a vacina da Covid e a da gripe juntas, no mesmo dia, não tem problema nenhum. Só não pode estar com sintomas gripais”, reforçou o titular da Sesau.
Perigo

Além do coronavírus, outro assunto que está assolando o Brasil é a variante da gripe H3N2. Um levantamento apontou que 17 estados e o Distrito Federal confirmaram casos da doença.
Dentre eles quatro são considerados em ‘estado de epidemia’: Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rondônia e Rio Grande do Norte.
Os outros que registraram casos são: São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Bahia, Pernambuco, Sergipe, Ceará, Distrito Federal, Paraíba, Goiás, Maranhão e Pará.
E seis estados já registraram mortes após contaminação pelo H3N2: Rio de Janeiro (7), Bahia (5), Rondônia (4), Pernambuco (3), Paraná (1) e Rio Grande do Sul (1), totalizando 21 mortes.
João Gabbardo, coordenador do Comitê Científico de São Paulo, afirmou que até o momento, “os números de casos graves são pequenos, mas a recomendação ainda é usar máscaras e evitar aglomerações”.
“Quem pensava em flexibilizar por conta da vacinação [contra a Ômicron], precisará retomar as medidas [contra a influenza]”, diz ele.

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM SEU EMAIL

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 146.209 outros assinantes

ÚLTIMAS