29 novembro 2021 1:49 pm
32.3 C
Rio Branco
29 novembro 2021 1:49 pm

Vereadoras do mesmo partido trocam agressões físicas em banheiro da Câmara

Colegas de partido, Cris Monteiro e Janaína Lima teriam se desentendido por conta do tempo destinado a cada parlamentar no microfone durante votação da reforma da Previdência, na quarta-feira (10/11). Cris registrou boletim de ocorrência nesta quinta-feira (11)

da Redação Ecos da Notícia
-------- Continua depois da Publicidade--------

A vereadora Cris Monteiro (Novo-SP) registrou um boletim de ocorrência nesta quinta-feira (11/11) contra a vereadora Janaína Lima (SP), também do Novo. De acordo com a parlamentar que fez a denúncia, ela teria sido empurrada contra a parede do banheiro da Câmara, agarrada pelo pescoço, até o momento em que caiu no chão. O boletim de ocorrência foi registrado na 1ª Delegacia de Polícia da Sé, no centro de São Paulo.

Os desentendimentos começaram na votação da reforma da Previdência municipal, que aconteceu na quarta-feira (10), por conta do tempo destinado a cada parlamentar no microfone. A vereadora Cris Monteiro explicou que está com marcas roxas evidentes no pescoço, que ficaram à mostra nas fotos postadas pela parlamentar nas redes sociais.

Além disso, Cris, que tem alopecia, contou que machucou o joelho na queda e que teve sua peruca arrancada e pisoteada por Janaína no conflito. Segundo ela, a discussão só foi encerrada quando a porta do banheiro foi arrombada.

Em nota, Cris Monteiro confirmou que o motivo da discussão que culminou na agressão foi um desentendimento sobre o tempo de fala sobre a reforma da Previdência municipal, projeto que estava em votação ontem em plenário.

“A Procuradoria da Câmara abriu procedimento de investigação interna para apurar o episódio. Cris foi socorrida por uma GCM e uma assessora parlamentar. (…) Janaína saiu do banheiro e, em seguida, fez um discurso de meia hora no púlpito do plenário, sem prestar atendimento a Cris Monteiro”, completou, em nota.

Na versão da vereadora Janaína, divulgada pela assessoria de imprensa, ela nega que a agressão tenha sido iniciada por ela. De acordo com seu depoimento, ainda em plenário, foi empurrada pela colega nas escadas e que, no banheiro da Câmara, a situação ficou insustentável. Ela só teria tentado se defender das agressões sofridas pela companheira de partido, agindo totalmente em legítima defesa. Ela postou imagens das agressões que sofreu durante o conflito.

Fonte: Correio Braziliense

-------- Continua depois da Publicidade--------

ÚLTIMAS NOTÍCIAS