19 novembro 2021 9:04 pm
23.3 C
Rio Branco
19 novembro 2021 9:04 pm

Organização muda data da devolução do dinheiro dos ingressos de show cancelado do MC Poze no AC

Nova data para devolução ficou a partir do dia 8 de dezembro. Inicialmente organização divulgou que valores seriam devolvidos no próximo dia 30 de novembro.

G1 Acre
-------- Continua depois da Publicidade--------

Os produtores do show do MC Poze, que ocorreria no dia 15 em Rio Branco, mudaram a data para a devolução do dinheiro dos mais de 2 mil ingressos vendidos para o evento. Conforme novo cronograma, os valores começam a ser devolvidos a partir do dia 8 de dezembro.

Inicialmente, a organização informou que o dinheiro seria devolvido a partir do próximo dia 30, mas devido aos prazos das instituições financeiras, que pedem em média 15 dias úteis para estornos e repassasses de valores, essa data precisou ser adiada.

O show foi cancelado pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Acre (Sejusp), que cassou a licença de segurança do espaço Maison Borges que autorizava o show alegando ‘para manter a ordem pública’.

A organização chegou a recorrer à Justiça para que o show fosse mantido, já que o cantor já estava no estado, mas o cancelamento do show foi mantido pela desembargadora Denise Bonfim. Segundo ela, a Sejusp tem competência para suspender o evento, caso verifique algum risco à ordem pública.

Ao g1, o advogado Weverton Matias, representante do evento, explicou que a produção teve um prejuízo de quase R$ 300 mil e agora se organiza para devolver o dinheiro para quem comprou os ingressos da atração.

“Após o contato com todas as plataformas de vendas, tanto as on-line quanto as instituições de transações financeiras (cartões) que se envolvem no protocolo de devolução de um volume de ingressos desse porte, chegamos a data do dia 8 de dezembro como o momento mais adequado para início da devolução, vez que a maioria dessas instituições pede um prazo de 15 dias úteis para estornos e repassasses de valores”, informou.

O secretário de Justiça e Segurança do Acre, coronel Paulo Cézar, afirmou que há informações “reservadas que subsidiaram a tomada da decisão de cassação da licença de segurança”.

Amenizar prejuízos

O prejuízo de R$ 300 mil foi por conta da estrutura, pessoal contratado, cache, bebidas e ainda a perda de lucros com aluguel, já que o espaço poderia ter sido alugado para outro evento.

Matias disse ainda que a produtora deve entrar com uma ação contra o Estado, já que, no entendimento da organização, o cancelamento causou prejuízo por ocorrer no mesmo dia que o show aconteceria.

“Ninguém é contra o governo, mas aconteceu esse fato que gerou esse desconforto, essa situação lamentável e vamos adotar as medidas necessárias para que os impactos possam ser minimamente amenizados por essa medida drástica do governo. O evento estava sendo divulgado há meses e o governo teve tempo para adotar medidas que julgasse necessárias ou até mesmo orientar que o artistas não subisse no palco ou viesse ao estado. Houve, no mínimo, uma falta de prudência por parte das instituições, autoridades, o que veio lesar ou causar grande prejuízo aos organizadores”, destaca.

Show cancelado

Na segunda, a Sejusp divulgou que cancelou o show do MC Poze do Rodo, marcado para ocorrer no espaço de eventos Maison Borges, em Rio Branco, e cassou a licença de segurança cedida ao estabelecimento para ‘preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio’.

Em nota, a Sejusp afirmou que o cancelamento é em razão de casos de violência registrados em alguns shows do artista pelo país.

“As notícias veiculadas nas mídias e informações levantadas pelos órgãos de inteligência vinculadas ao Sistema Estadual de Segurança Pública e outras agências congêneres de todo país, dando conta de graves ameaças contra a vida e a integridade física de pessoas perpetradas por organizações criminosas, em outros estados da federação, a exemplo do Amazona, Bahia e Espírito Santo”.

 

Na madrugada de sexta (12), um homem de 21 anos levou uma facada no peito durante uma briga generalizada em um show do funkeiro em Joinville, no Norte catarinense. Segundo a Polícia Militar, a vítima disse que foi atingida enquanto tentava separar uma briga. O homem estava bastante alcoolizado ou sob efeito de drogas e não conseguiu explicar com detalhes o que ocorreu, ou identificar o agressor.

Já no último dia 7 em Belém, vídeos que circularam em redes sociais mostraram uma confusão após a interrupção pela Polícia Militar de MC Poze do Rodo na cidade. Um policial aparece atirando balas de borracha contra o público. As imagens mostram os policiais em cima do palco e os músicos sendo retirados. Depois disso, o público começa a jogar objetos e bebidas contra os policiais. Um deles aponta uma espingarda de balas de borracha para a plateia e começa a atirar em direção ao público.

Suposta ligação ao tráfico

O DJ MC Poze é investigado pela polícia por suposta ligação ao tráfico e chegou a ser considerado foragido pela Justiça em 2020, mas o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ) revogou a prisão preventiva. Ele havia sido denunciado pelo Ministério Público.

À época da denúncia, o MC chegou à postar em uma rede sociais mensagem que dizia: “Deixa a favela vencer, brilhar, não tenta destruir isso”.

No final do último mês de outubro, a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) anunciou a proibição do evento “Baile do Embrasa”, marcado para o dia 30 de outubro, em Salvador, apontando ameaças de traficantes contra o artista, uma das atrações. As ameaças motivaram a decisão.

Segundo a SSP-BA, equipes de inteligência fizeram uma apuração de possível rixa entre organizações criminosas e o cantor, além da existência de um vídeo onde o artista aparece armado. A proibição foi citada em portaria publicada no Diário Oficial do Estado da Bahia.

-------- Continua depois da Publicidade--------

ÚLTIMAS NOTÍCIAS