7 dezembro 2021 3:52 am
23.3 C
Rio Branco
7 dezembro 2021 3:52 am

Em nota, Sindmed-Ac informa que greve dos médicos da capital continua

Dry Alves, da Redação Ecos da Notícia
-------- Continua depois da Publicidade--------

Buscando melhorias na reestruturação do Plano de Cargos e Carreiras (PCCR) e a incorporação de penduricalhos ao salário base, os 48 médicos do município de Rio Branco deflagraram greve no último dia 8 de novembro. Quem tem atendido a demanda da rede municipal da capital são os médicos do Programa Mais Médicos.

No último fim de semana, o desembargador  Elcio Mendes, do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), determinou o retorno de 90% dos médicos aos seus respectivos postos de trabalho, com multa diária de R$ 50 mil caso a decisão não seja acatada.

Em nota, a Diretoria do Sindicato dos Médicos do Estado do Acre (Sindmed-AC) diz que ainda não houve notificação oficial da justiça e os médicos ainda aguardam o início das negociações e a apresentação de contraproposta por parte do prefeito Tião Bocalom.

 

Nota de Continuidade da Greve

A Diretoria do Sindicato dos Médicos do Estado do Acre (Sindmed-AC) informa que a greve na rede primária de saúde de Rio Branco continua. Até o momento não houve notificação oficial da Justiça.

A classe celebra ainda a decisão judicial noticiada pelos veículos de comunicação que reconheceu a legalidade da greve, demonstrando que o ato é legítimo, embora os assessores de Tião Bocalom estejam comemorando a tentativa de reprimir o movimento.

A Diretoria desta entidade ainda está ciente de que não seria possível garantir o cumprimento de qualquer acordo ainda este ano, pois faltam algumas semanas para o recesso parlamentar, inviabilizando aprovação e aplicação ainda em 2021, mas é desejo da classe que haja negociação; por isso, desde junho a categoria vem tentando dialogar com o prefeito Tião Bocalom, que se recusa a debater as demandas.

Em cinco meses de reuniões desmarcadas e de questionamentos não respondidos, houve apenas o encaminhamento de um parecer jurídico por parte da procuradoria do município, o que não representa diálogo, mas, sim, o rompimento de qualquer tentativa de mediação. Outra prova da falta de diálogo por parte dos gestores será a paralisação de todas as categorias da Prefeitura de Rio Branco no dia 23.

Por fim, os médicos ainda aguardam o início das negociações e a apresentação de contraproposta por parte do prefeito Tião Bocalom, sendo esperado pela classe que qualquer acordo seja aplicado em janeiro de 2022.

A Diretoria do Sindmed-AC

-------- Continua depois da Publicidade--------

ÚLTIMAS NOTÍCIAS