6 dezembro 2021 3:52 am
23.3 C
Rio Branco
6 dezembro 2021 3:52 am

Evangélico, vereador Ricardo Almeida defende Carnaval: “Agrega economia”

Tema foi discutido em audiência na Câmara Municipal na semana passada

Metro 1
-------- Continua depois da Publicidade--------

O vereador Ricardo Almeida (PSC), que integra a bancada evengélica da Câmara Municipal de Salvador, disse nesta segunda-feira (25) ter expectativa que o prefeito Bruno Reis (DEM) e o governador Rui Costa (PT) autorizem a realização do Réveillon, do Carnaval em 2022 e das festas populares da capital.

“O Carnaval, como foi já discutido na semana passada, deve acontecer. Os blocos, de uma forma mais organizada, com os protocolos, devem ir às ruas. E os empregos e rendas dos soteropolitanos que dependem dessas festas devem ser assegurados. Eu acredito que o poder público, o prefeito Bruno Reis e o governador Rui Costa terão essa sensibilidade para garantir [a realização das festas]”, declarou Almeida em entrevista ao apresentador José Eduardo, na Rádio Metropole.

Segundo o vereador, os segmentos de eventos e de entretenimento em geral, além de gerador de emprego e renda, merecem  maior atenção, uma vez que atraem turistas para a cidade.

“A gente não pode ir a reboque de Recife, de Fortaleza. Ao contrário, a locomotiva do Nordeste tem que ser a cidade do Salvador. Nós precisamos ocupar esse espaço. O Carnaval, que é uma festa que agrega economia, deve acontecer. O Réveillon, as festas populares e as festas que acontecem durante todo o verão também devem acontecer”, defendeu Almeida, para quem desde o vendedor ambulante ao dono de hotel dependem dessa retomada.

“O retorno das atividades econômicas e das atividades de eventos deve ocorrer o quanto antes possível. Já temos números que nos asseguram a tranquilidade, claro, com rígidos protocolos. Mas precisamos dar uma resposta a esses segmentos”, acrescentou.

-------- Continua depois da Publicidade--------

Julgamento de acusados no caso da Boate Kiss entra hoje no quinto dia

Depoimentos são de vítima e de testemunha de defesa de um dos réus

DPU recomenda que prefeito de Rio Branco pare de fazer discurso de ódio sobre musical com Papai Noel gay

Tião Bocalom se manifestou contra a iniciativa que foi aprovada pela FGB no último dia 26. Defensoria deu prazo de 10 dias para prefeito responder se vai ou não acatar recomendação.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS