7 dezembro 2021 2:07 pm
31.3 C
Rio Branco
7 dezembro 2021 2:07 pm

China pode, em breve, superar os EUA como força aérea mais poderosa do mundo

areferencia.com
-------- Continua depois da Publicidade--------

Analistas e líderes militares sugerem que o investimento no setor e o avanço tecnológico de Beijing não têm sido acompanhados por Washington.

O alto investimento militar pode levar a China a superar os Estados Unidos como mais poderosa força aérea do mundo. Essa e a constatação de analistas e líderes militares, com base no avanço obtido por Beijing nos últimos anos, algo que não tem sido acompanhado por Washington. As informações são da rede norte-americana Voice of America (VOA).

A disputa pela supremacia militar aérea voltou à tona nos últimos dias, com a maior incursão de jatos da força aérea chinesa em Taiwan. Somente no dia 4 de outubro, a China enviou 56 aeronaves ao espaço aéreo da ilha, concluindo numa ação que se estendeu por quatro dias e envolveu 149 caças e bombardeiros. O gesto simbólico, que os taiwaneses encaram como uma ameaça, gerou reação global, sobretudo de aliados de Taipé. E ampliou o alerta de Washington.

Em setembro, durante uma conferência militar, o general Charles Brown Jr., chefe do Estado-Maior da força aérea norte-americana, qualificou o exército chinês como detentor das “maiores forças de aviação do Pacífico”. E disse que o posto foi alcançado “debaixo de nosso nariz”, sem uma resposta à altura. Mais: ele projetou que a China pode assumir a supremacia aérea militar global em 2035.

No mesmo evento, o tenente-general S. Clinton Hinote manifestou opinião semelhante e advertiu que os EUA não acompanham os avanços da China. “Em algumas áreas importantes, estamos atrasados. E falo ‘nesta noite’. Esse não é um problema de amanhã. É de hoje”. Posteriormente, em conversa privada com jornalistas, reforçou a opinião de que os chineses já igualaram os avanços tecnológicos norte-americanos no setor.

Na visão de Eric Heginbotham, principal cientista pesquisador do Centro de Estudos Internacionais do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts, da sigla em inglês), a recene incursão aérea da China em Taiwan é prova do avanço militar do rival. “Eles estão montando pacotes de aviões de caça, o J-16 em particular, que voam em grande número. E essa é uma capacidade relativamente nova. Estão montando pacotes completos, enviando também aeronaves antissubmarino. Eles estão mostrando muito”.

Um estudo de 2015 do think tank RAND Corporation, daCalifórnia já havia alertado para os avanços chineses. O documento dizia que “as melhorias contínuas nas capacidades aéreas chinesas tornam cada vez mais difícil para os Estados Unidos alcançarem a superioridade aérea dentro de um prazo política e operacionalmente eficaz”. E destacou os riscos que isso pode representar para Taiwan: “especialmente em um cenário próximo ao da China continental”.

China x Taiwan

Nesta segunda-feira (11), no que pareceu mais um recado belicista destinado a Taipé, o Exército da China publicou um vídeo em seu canal oficial que mostra um treinamento de desembarque de tropas e simulações de assalto na praia da província chinesa de Fujian. A região fica no estreito de Taiwan e, pela proximidade geográfica, seria um local estratégico de lançamento para qualquer invasão chinesa à ilha.

Embora autoridades chinesas não vinculem os exercícios às atuais turbulências com a ilha semiautônoma, os taiwaneses estão temerosos com a vertiginosa pressão militar imposta por incursões em massa de Beijing na sua zona de defesa aérea, que tem claro objetivo de impor seu domínio político.

-------- Continua depois da Publicidade--------
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS