30 novembro 2021 1:26 pm
23.3 C
Rio Branco
30 novembro 2021 1:26 pm

Após postagem homofóbica, Maurício Souza é demitido

Um dia após afastar e multar Maurício Souza, clube anuncia desligamento do jogador,; Atleta diz não achar que cometeu crime: "Se fosse crime, a polícia já tinha vindo me prender"

da Redação Ecos da Notícia
-------- Continua depois da Publicidade--------

A publicação homofóbica postada pelo central Maurício Souza nas redes sociais, em 12 de outubro, ganhou mais um capítulo, desta vez, com o anúncio da demissão do jogador pelo clube em que atua. “O Minas Tênis Clube informa que o atleta Maurício Souza não é mais jogador do clube”, publicou o time, na tarde desta quarta-feira (27/10).

Horas antes do comunicado oficial do clube mineiro, o presidente da República, Jair Bolsonaro, (sem partido) reagiu à notícia sobre o afastamento de Maurício Souza das quadras. “Puta que o pariu, impressionante, né? Tudo é homofobia, tudo é feminismo”, disse o chefe de Estado, antes de participar de uma entrevista na emissora Jovem Pan News. Em outras ocasiões, o jogador de vôlei havia pronunciado admiração por Bolsonaro, inclusive aparecendo ao lado do presidente em fotos divulgadas no Instagram.

Maurício Souza também havia se pronunciado sobre o caso, por meio do Instagram, quando já acreditava que o desligamento do Minas pudesse ocorrer. “Não sei se o que eu fiz foi algum crime. Se fosse crime, a polícia já tinha vindo aqui em casa me prender. Acho que não foi crime nenhum o que fiz. Foi apenas defender o que acredito e colocar a minha opinião em cima disso. Se isso ofendeu alguém, mais uma vez peço desculpas”, disse o jogador, por meio de vídeo, no inicio da tarde desta quarta-feira.

O caso gerou muita repercussão na internet, que contou com vários atletas manifestando-se contra a homofobia. A central Carol Gattaz, também atleta do Minas Tênis Clube e medalhista olímpica dos Jogos de Tóquio, foi uma delas. “Homofobia é crime. Racismo é crime. Respeito é obrigatório”, publicou. “Já toleramos desrespeito, gracinhas e preconceitos disfarçados de opinião por muito tempo. Chega”, completou a jogadora, que também é da comunidade LGBTQI+.

Entenda o caso

Maurício Souza, que defendeu a Seleção Brasileira de vôlei nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, criticou o anúncio da DC Comics que divulgou, em 12 de outubro, a bissexualidade do novo Super-Homem nas próximas edições dos quadrinhos. “A é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar…”, comentou o central, nas redes sociais.

A atitude gerou reação do ponteiro Douglas Souza, que também defende a Seleção Brasileira e é homossexual. “Engraçado que eu não virei heterossexual vendo os super-heróis homens beijando mulheres. Se uma imagem como essa te preocupa, sinto muito, mas eu tenho uma novidade pra sua heterossexualidade frágil. Vai ter beijo sim. Obrigado DC por pensar em representar todos nós e não só uma parte”, publicou.

Apesar da repercussão ter sido grande na internet, o Minas Tênis Clube posicionou-se defendendo a liberdade dos atletas de se expressarem livremente em suas redes sociais”. Mas a atitude branda foi confrontada pelas patrocinadoras da equipe, que pediram “medidas cabíveis” ao clube.

Em reunião entre dirigentes do Minas Tênis Clube e Maurício Souza, o clube decidiu multar e afastar o central por tempo indeterminado. O time também recomendou ao atleta que se retratasse pela publicação imediatamente. O jogador até se desculpou em público, mas usou o perfil da rede social que tem poucos seguidores.

Desculpas para apenas 50 pessoas? 

Após sofrer o afastamento do Minas na terça-feira (26/10), o central Maurício Souza pediu desculpas pela manifestação homofóbica no mesmo dia no perfil dele no Twitter, o qual tinha menos de 50 seguidores no momento da publicação. As declarações preconceituosas, porém, foram feitas no perfil no Instagram, o qual conta com 257 mil seguidores.

Um novo vídeo sobre o caso foi publicado pelo jogador no Instagram nesta quarta-feira, antes do anúncio do desligamento dele do Minas. Nele, Maurício pede desculpas a quem possa ter se sentido ofendido e se defende: “Hoje em dia, a gente não pode dar mais opinião sobre nada que vai ser penalizado. Mas, se eu sair do time, pode ter certeza que vou arrumar outro time para jogar”.

Fonte: Correio Braziliense

-------- Continua depois da Publicidade--------

ÚLTIMAS NOTÍCIAS