27 outubro 2021 3:13 pm
31.1 C
Rio Branco
27 outubro 2021 3:13 pm

Saerb quase falido, rede estourada e arrecadação zero: o enorme desafio de Bocalom pra garantir água a todos

Fonte: ACJornal.com
- Publicidade-

Em reunião na sede da prefeitura, o prefeito Tião Bocalom declarou que os recursos necessários para o funcionamento inicial do Saerb para manter o abastecimento de água da cidade estão garantidos. Serão repassados R$ 25 milhões para locação de imóvel, contratação de técnicos, compra de equipamentos e melhorar a parte administrativa.
No encontro que aconteceu no gabinete do prefeito, Tião Bocalom logo quis saber como estão os preparativos para receber o serviço de abastecimento de água da capital. Depois de dois adiamentos, o período marcado para a reversão será o dia 1 de janeiro de 2022. A partir dessa data, a prefeitura será a responsável pela distribuição de água nas residências e o comércio da cidade.
Segundo a diretora-presidente do Saerb, Fabiana Souza, o sistema atual tem diversas falhas e para garantir o funcionamento básico a prefeitura precisa de recurso. A direção do Depasa que gerencia o sistema não sabe onde passa todo a rede. Tem as constantes reclamações da falta de água, principalmente na região mais alta da cidade. Na parte de arrecadação, o Depasa praticamente deixou de funcionar, e onde tem hidrômetro, 50% consumidores pagam as contas que geralmente são pequenos valores e não indicam o verdadeiro consumo.

“As bombas e a rede em geral são antigas. Se hoje aumentarmos a vazão, corremos o risco de estourar os canos e multiplicar os vazamentos na rede”, disse Souza.

A atual diretora da saerb disse que se assustou quando começou o levantamento e viu que o sistema estava praticamente falido. “O Saerb vai precisar de muito dinheiro para montar uma estrutura administrativa e técnica, além de novos equipamentos”, lembrou.

Fora todos esses problemas ainda tem um risco de desabamento da estação de captação de água para a estação e tratamento II, responsável por 70% do abastecimento da capital.

O prefeito Tião Bocalom disse que os R$ 25 milhões para o pontapé inicial dos trabalhos estão garantidos. Mas a ideia é modernizar o sistema, e, para isso, a prefeitura já pensa em buscar empréstimo que alcançaria também a rede de esgoto.

- Publicidade-
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS