Rio Branco,

aaa

Ao vivo: Deputado desacata sessão e é expulso pela polícia; assista

A CPI da Covid ouve, nesta quarta-feira, 04, o “coronel Blanco”, citado diversas vezes no Senado. Ele foi o responsável por apresentar, no dia 25 de fevereiro, o policial militar e vendedor Luiz Paulo Dominghetti Pereira, representante da Davati, ao ex-diretor de Logística da Saúde Roberto Ferreira Dias, durante um encontro em um restaurante em Brasília.

IG
Deputado Stephanes Junior desferiu ofensas aos senadores que participavam da comissão parlamentar de inquérito; Sessão foi suspensa e o deputado foi conduzido pelos oficiais
- Publicidade-

A CPI da Covid ouve, nesta quarta-feira, 04, o “coronel Blanco”, citado diversas vezes no Senado. Ele foi o responsável por apresentar, no dia 25 de fevereiro, o policial militar e vendedor Luiz Paulo Dominghetti Pereira, representante da Davati, ao ex-diretor de Logística da Saúde Roberto Ferreira Dias, durante um encontro em um restaurante em Brasília.

De acordo com a Agência Brasil de Notícias, Marcelo Blanco, que é o dono da Valorem Consultoria em Gestão Empresarial, voltada à mediação de negócios e assessoria técnica e à atividades ligadas ao mercado de saúde, disse aos senadores que tinha interesse apenas na comercialização de doses de vacina para o mercado privado.

Coronel Blanco trabalhou como assessor do departamento de Logística no Ministério da Saúde, junto a Roberto Dias

“Nunca acompanhei representante de qualquer empresa em visitas ao Ministério da Saúde ou qualquer órgão público. O meu intuito em relação ao senhor Dominguetti se restringia ao desenvolvimento de um possível mercado de vacinas para o segmento privado, assunto que estava em discussão na sociedade civil por meio de interesse de grandes grupos econômicos brasileiros e das propostas de regulamentação no Congresso Nacional ”, justificou o depoente.

Em meio aos questionamentos realizados pelo relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB-AL), o deputado federal Stephanes Junior (PSD-PR) desferiu ofensas aos parlamentares e precisou ser expulso pela Polícia Legislativa. Assista:

 

Tenente-coronel da reserva no Exército, Marcelo Blanco da Costa passou pelo Ministério da Saúde como ex-assessor do departamento de Logística. Função subordinada a Roberto Ferreira Dias, diretor da área, que teria realizado o pedido de US$ 1 por dose de vacina . Assista ao vivo:

O militar é apontado por ter participado de uma reunião entre o policial militar Luiz Paulo Dominghetti e Roberto Dias no dia 25 de fevereiro em um restaurante em Brasília. Dominghetti revelou, em sua oitiva, que foi o cornel Blanco quem o levou para o encontro com Dias . O caso da suposta propina de 1 dólar na compra de 400 milhões de doses de vacinas teria sido acertado nessa reunião.

- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS