Rio Branco,

VÍDEO: prisão de serial killer de homossexuais

Suspeito de ser serial killer foi rastreado após denúncia recebida pela polícia nesta sexta-feira. Prisão ocorreu na manhã deste sábado

NDmais - Florianópolis
- Publicidade-

A Polícia Civil do Paraná divulgou o vídeo da prisão de José Tiago Correia Soroka, suposto serial killer que mata homossexuais, neste sábado (29). A prisão ocorreu em uma pensão, em Curitiba, no bairro chamado Capão Raso. Ainda na manhã deste sábado ele e ele deve ser ouvido nas próximas horas na DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa). O suspeito teria cometido crimes também em Santa Catarina.

Só foi possível identificar o suspeito, de 33 anos, porque uma das vítimas escapou e ajudou a polícia na identificação. Além disso, imagens de câmeras de monitoramento foram utilizadas para rastrear o suspeito.

A polícia recebeu a informação do paradeiro do suspeito na noite de sexta-feira (28) e, depois de monitorar o local, prendeu José Tiago Soroka, que também é conhecido como “Japa”. De acordo com a Polícia Civil, ele não resistiu à prisão.

Suposto serial killer que atua em SC e Paraná foi preso numa pensão – Foto: Reprodução
Suposto serial killer que atua em SC e Paraná foi preso numa pensão – Foto: Reprodução

Entenda o caso

Foragido no Paraná e em Santa Catarina, o serial killer é suspeito de assassinar Robson Olivino Paim no dia 16 de abril, em Abelardo Luz, no Oeste de Santa Catarina. Ele teria sido a primeira vítima de José, de acordo com a Polícia Civil.

Já em Curitiba, David Júnior Alves Levisio e Marco Vinício Bozzana da Fonseca foram assassinados no dia 27 de abril e no dia 4 de maio, respectivamente.  Uma semana depois, no dia 11 de maio, o serial killer teria tentado assassinar a quarta vítima no bairro Bigorrilho, que sobreviveu e ajudou a reconhecê-lo.

De acordo com as investigações da DHPP, o suspeito não tinha relações sexuais com as vítimas. Ele as atraía marcando encontros. Todos os alvos tinham o mesmo perfil: jovens gays que moravam sozinhos.

Segundo a polícia, o serial killer marcava os encontros nas casas das vítimas e, no momento em que estavam distraídas, aplicava um golpe mata leão, as sufocava e roubava a casa após o assassinato. Entre os itens roubados estão computadores e celulares. Ele pode ser indiciado por latrocínio, mas a polícia aguarda o depoimento, que deve acontecer nas próximas horas, para dar continuidade às investigações.

As vítimas foram assassinadas em Santa Catarina e no Paraná – Foto: Reprodução/ND

As vítimas

Dia 16 de abril: Robson Olivino Paim, de 36 anos, foi achado morto por familiares em casa no município de Abelardo Luz, no Oeste catarinense. Paim era professor na UFFS (Universidade Federal da Fronteira Sul) e estava doutorando em Geografia na Udesc (Universidade do Estado de SC). Ele foi a primeira vítima. O carro dele foi roubado pelo assassino e levado para o Paraná.

Dia 27 de abril: David Júnior Alves Levisio, de 30 anos, foi achado morto no próprio apartamento em Curitiba. Ele era enfermeiro e estava com as mãos amarradas.

Dia 4 de maio: Marco Vinício Bozzana da Fonseca, de 25 anos, foi encontrado com sinais de esganadura em Curitiba. Ele era estudante de medicina.

- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img