1 dezembro 2021 4:48 pm
30.3 C
Rio Branco
1 dezembro 2021 4:48 pm

Tomou vacina e quer comemorar? Só não poste a foto da carteirinha, alerta advogado

Tomar a vacina contra a covid-19 pode estar entre as maiores alegrias dos últimos tempos, e é por isso que os imunizados não perdem a chance de contar a novidade para todo mundo, postando fotos e vídeos. É só abrir a rede social para encontrar a carteirinha de vacinação de algum conhecido.

UOL
Pode até parecer inofensivo, mas colocar isso nas redes sociais abre portas para várias possibilidades de crimes
-------- Continua depois da Publicidade--------

Tomar a vacina contra a covid-19 pode estar entre as maiores alegrias dos últimos tempos, e é por isso que os imunizados não perdem a chance de contar a novidade para todo mundo, postando fotos e vídeos. É só abrir a rede social para encontrar a carteirinha de vacinação de algum amigo.

Pode até parecer inofensivo, mas colocar isso nas redes sociais abre portas para várias possibilidades de crimes, diz o advogado José Renato Laranjeira, diretor do Lapin (Laboratório de Políticas Públicas e Internet) e membro da Coalizão Direitos na Rede..

Dependendo do estado, o documento de vacinação pode conter: número do CPF, do RG e do cadastro no SUS e a data de nascimento. Às vezes, são feitas anotações também sobre a pessoa que aplicou a vacina. “Esses dados são os que nós usamos para autenticar, ou seja, para dizer que nós somos nós mesmos. Uma vez que você compartilha isso, você facilita que agentes mal-intencionados usem essas informações para fraudes”, alerta Laranjeira. Por isso, quando chegar a sua vez (ou a de alguém próximo) de receber as doses, controle os impulsos e não saia postando por aí o que deveria ser privado — ou seja, os seus dados. Dados de saúde são considerados sensíveis Além do risco de acabar vítima

Dependendo do estado, o documento de vacinação pode conter: número do CPF, do RG e do cadastro no SUS e a data de nascimento. Às vezes, são feitas anotações também sobre a pessoa que aplicou a vacina.

Esses dados são os que nós usamos para autenticar, ou seja, para dizer que nós somos nós mesmos. Uma vez que você compartilha isso, você facilita que agentes mal-intencionados usem essas informações para fraudes”, alerta Laranjeira.

Por isso, quando chegar a sua vez (ou a de alguém próximo) de receber as doses, controle os impulsos e não saia postando por aí o que deveria ser privado — ou seja, os seus dados..

Dados de saúde são considerados sensíveis Além do risco de acabar vítima de algum golpe, ao divulgar dados de saúde, o dono das informações pode amargar outros prejuízos que vão desde pagar mais caro para ter um plano de saúde encarecido até problemas na avaliação de crédito. Não é à toa que as informações relacionadas à nossa saúde são consideradas dados sensíveis pela LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) e, por isso, exigem uma proteção ainda maior..

Laranjeira explica que a partir dos nossos dados de saúde, a pessoa (ou empresa) que os coletou consegue criar perfis nossos. Essas informações podem ainda ser cruzadas com as de outras bases de dados e revelar, por exemplo, se o recém-imunizado tem algum problema cardíaco. “Aí você pode encarecer um plano de saúde para ela”, diz o advogado…. –

Essa combinação de bancos de dados pode fazer com que uma empresa decida te oferecer (ou não) crédito. Para avaliar se uma pessoa é uma “boa” pagadora, Serasa e SPC se baseiam em uma série de informações coletadas de diversos bancos de dados. Se essas informações estiverem públicas, fica até mais fácil…. –

Risco de ter que indenizar a enfermeira Nos casos em que a carteirinha tem informações também de quem aplicou a vacina, como número do registro no Conselho Regional de Enfermagem e assinatura, a publicação de uma foto pode afetar mais pessoas, levando a possíveis punições previstas no Código Penal Brasileiro..

A advogada Paula Lima Zanona, gerente jurídica de privacidade e proteção de dados, explica que “a pessoa pode estar cometendo ato ilícito se permitir que criminosos utilizem não só os dados dela como também os do enfermeiro que aplicou a vacina”..

Será que o profissional [que aplicou a vacina] tem ciência da exposição dele? Depois ele pode pedir algum tipo de indenização”, ela afirma..

 

 

-------- Continua depois da Publicidade--------

ÚLTIMAS NOTÍCIAS