Rio Branco,

Brasileira fica em 2º lugar no Miss Universo; mexicana é campeã

A brasileira Julia Gama (foto em destaque) ficou em segundo lugar na 69ª edição do Miss Universo.

METRÓPOLES
A gaúcha Julia Gama ficou na segunda colocação do concurso, um feito que não ocorria desde 2007. Ela perdeu a coroa para Andrea Meza
- Publicidade-

A brasileira Julia Gama (foto em destaque) ficou em segundo lugar na 69ª edição do Miss Universo.

A mexicana Andrea Meza venceu o concurso, realizado na noite desse domingo (16/5) em um hotel da Flórida, nos Estados Unidos.

A sul-africana Zozibini Tunzi, eleita na edição disputada em 2019, passou a coroa para a mexicana. Andrea tem 26 anos, é formada em engenharia de software e vegana.

Ela pratica crossfit e esportes radicais, como rapel e sandboard.O Miss Universo não aconteceu em 2020 devido à pandemia do coronavírus.

Desde 1968, o Brasil não vence o concurso Miss Universo. A penúltima vez que o país conquistou o segundo lugar foi em 2007, com a mineira Natalia Guimarães.

Na fase das perguntas, Julia teve de responder ao tema ” mulheres ainda são consideradas incapazes de ser líderes mundiais, convença o mundo do contrário”.

“Mulheres são uma parte muito importante da sociedade. Só porque não somos encorajadas da mesma forma que homens são, nosso potencial é desperdiçado. O mundo precisa da contribuição das mulheres porque estamos aqui por um motivo e eu convido todas a entender que somos as líderes das nossas vidas e, sim, podemos fazer muito por nossas comunidades. Então por favor, usem seu poder”, disse ela.

A gaúcha Julia Gama também falou sobre saúde mental, na fase final do concurso.

“É um tópico ainda bastante estigmatizado e, por isso, não conseguimos falar abertamente. Mas para todos aqui esta noite, eu peço que lembrem disso. Por favor, vamos normalizar conversas sobre ansiedade e depressão. Vamos nos apoiar e compartilhar empatia.”

Julia tem 27 anos e é natural de Porto Alegre (RS). Atualmente, reside na China, onde trabalha como atriz.

O Brasil levou a coroa em 1963, com Iêda Maria Vargas, e em 1968, com Martha Vasconcellos. O mais próximo que chegou depois disso foi um segundo lugar em 1972 e em 2007, com Rejane Goulart e Natália Guimarães, respectivamente.

- Publicidade-

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img