Rio Branco,

Pisoteados: tumulto em festival religioso em Israel deixa 44 mortos e mais de 100 feridos

Por G1
Várias pessoas foram pisoteadas, segundo autoridades. Evento para judeus ortodoxos reuniu cerca de 100 mil no norte do país, que começa a retomar festivais após controlar a pandemia

Um tumulto em um festival religioso em Israel deixou 44 mortos e mais de 100 feridos nesta sexta-feira (horário local, noite de quinta-feira no Brasil). Há crianças entre as vítimas.

Cerca de 100 mil pessoas — a maioria judeus ortodoxos — participavam da celebração Lag B’Omer, o maior evento desde o controle da pandemia do coronavírus no país.




Uma investigação foi aberta para apurar as causas do acidente, que ainda não estão claras.

Relatos apontam que pessoas caíram em uma arquibancada, o que causou um princípio de tumulto. Uma multidão então tentou sair por uma passagem estreita e pessoas foram pisoteadas.

“INFELIZMENTE, ENCONTRAMOS CRIANÇAS PEQUENAS PISOTEADAS”, AFIRMOU ELI BEER, DIRETOR DE UM SERVIÇO VOLUNTÁRIO DE AMBULÂNCIA, A UMA RÁDIO LOCAL. “CONSEGUIMOS SALVAR ALGUMAS DELAS”.

O Magen David Adom, equivalente israelense à Cruz Vermelha, atendeu 150 feridos. Muitos foram levados a hospitais.

Seis pessoas estavam em estado crítico e 18, em estado grave, segundo o serviço nacional de ambulâncias.

Equipe de emergências atende a feridos após tumulto em festival religioso em Israel em 30 de abril de 2021 — Foto: Stringer/Reuters

Equipe de emergências atende a feridos após tumulto em festival religioso em Israel em 30 de abril de 2021 — Foto: Stringer/Reuters

Equipe de emergências atende desastre em festival religioso em Israel em 30 de abril de 2021 — Foto: David Cohen-JINIPIX/Reuters

Equipe de emergências atende desastre em festival religioso em Israel em 30 de abril de 2021 — Foto: David Cohen-JINIPIX/Reuters

Cenário desolador

As vítimas ainda estão sendo identificadas. Durante a noite, familiares tentavam encontrar parentes desaparecidos e ligavam para seus celulares, que se acumulavam no local em meio a roupas e outros objetos perdidos.

“OS TELEFONES DOS MORTOS NÃO PARAM DE TOCAR E VEMOS ‘MÃE’ E ‘MINHA QUERIDA ESPOSA’ [NA TELA]”, AFIRMOU MOTTI BOKCHIN, PORTA-VOZ DE UM SERVIÇO DE EMERGÊNCIA À RÁDIO DO EXÉRCITO.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu foi ao local da tragédia e classificou-a como um “pesado desastre”. O premiê declarou o domingo um dia de luto nacional pelas vítimas da tragédia.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, visita o Monte Meron, no norte de Israel, após tragédia com mais de 40 mortos em evento religioso com judeus ultraortodoxos em 30 de abril de 2021 — Foto: Ronen Zvulun/Reuters

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, visita o Monte Meron, no norte de Israel, após tragédia com mais de 40 mortos em evento religioso com judeus ultraortodoxos em 30 de abril de 2021 — Foto: Ronen Zvulun/Reuters

Festival judeu

O Lag B’Omer é um feriado em homenagem ao rabino Simon Bar Yochai, um religioso do século II cujos restos mortais estão enterrados no Monte Meron.

O evento marca o início da retomada das grandes celebrações (religiosas ou não) em Israel, país que conseguiu controlar a Covid-19 com uma das vacinações em massa mais rápidas do mundo.

Quase todas as atividades já retornaram à normalidade pré-pandemia, e o governo israelense tirou recentemente a obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre.

Centenas de judeus ortodoxos cantam e dançam no festival Lag B'Omer em Monte Meron, no norte de Israel, nesta quinta (29) — Foto: Reuters

Centenas de judeus ortodoxos cantam e dançam no festival Lag B’Omer em Monte Meron, no norte de Israel, nesta quinta (29) — Foto: Reuters

Apesar da tragédia, alguns religiosos voltaram ao Monte Meron para continuar a celebrar o festival judaico.

MAPA — Local do tumulto que deixou mortos em Israel — Foto: G1 Mund

MAPA — Local do tumulto que deixou mortos em Israel — Foto: G1 Mund




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img