Rio Branco,

Padrasto é preso 12 anos após estuprar a enteada que na época do crime era uma criança

Por Portal Imediato

A Polícia Civil do Amazonas, por meio do 1° Distrito Integrado de Polícia (DIP), prendeu um homem condenado a 10 anos e seis meses de prisão por abusar sexualmente da própria enteada que, na época do crime, tinha 11 anos de idade.

Segundo o delegado Marcos Arruda, a prisão ocorreu nesta quinta-feira (22), por volta das 10h, no trabalho do criminoso, que ficava situado no Conjunto Vieiralves, bairro Nossa Senhora das Graças, zona centro-sul.

O crime de estupro aconteceu no ano de 2008 quando a vítima tinha apenas 11 anos de idade. O preso era padrasto da menina e aproveitava os momentos em que a mãe saía de casa para cometer os abusos. A vítima contou ao pai que os abusos estavam correndo e, após isso, as investigações em torno do caso iniciaram e foi constatado o ato criminoso.

A ordem judicial em nome do indivíduo foi solicitada à Justiça e expedida no dia 13 de abril deste ano, pelo juiz Iam Andrezzo Dutra, da 1ª Vara Especializada em Crimes contra a Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes. Sendo assim, as equipes seguiram em diligências e conseguiram efetuar a prisão dele, em seu local de trabalho, no Conjunto Vieiralves.

O delegado explicou ainda que o tempo de mais de 10 anos para que o estuprador fosse preso é relacionado as mudanças que houveram na legislação sobre o crime. Até o ano de 2019 os casos de abuso libidinoso eram julgados de forma diferente dos casos de abuso por conjunção carnal. Foi só após a mudança que passou a lidar com os dois crimes sob a mesma responsabilidade que a Justiça permitiu a prisão do criminoso.

O homem foi condenado a 10 anos e seis de reclusão em regime fechado, pelo crime de atentado violento ao pudor com presunção de violência e, após os procedimentos cabíveis, será encaminhado à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficará à disposição da Justiça.




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img