Rio Branco,

Menina de 8 anos é atacada por cão em rua no Acre e é mordida no rosto

Por JURUÁ ONLINE
Ela levou várias mordidas nos braços, cabeça, pescoço e a mais grave no rosto

Não é a primeira vez que uma pessoa é atacada por cães abandonados por seus donos em Cruzeiro do Sul, nas comunidades Deracre, Assis Brasil e adjacências. Nesta segunda-feira,19, por pouco uma tragédia não aconteceu.

Uma menina de 8 anos de idade, que saiu de sua casa com outros colegas para comprar um lanche próximo, foi atacada com várias mordidas nos braços, cabeça, pescoço e a mais grave no rosto, por um cachorro raceado, que há cerca de 5 dias foi abandonado na comunidade por seus donos. Como ela estava acompanhada com outras crianças, o animal se afastou devido os gritos de socorro e medo dos colegas.

Lara Gabriely Rocha, foi levada até a UPA pela mãe devido os ferimentos. Ela foi medicada com curativos, tomou vacina antirrábica e levada de volta pra casa.

A mãe de Lara, chamada Maria Hellena, relata o seu sentimento de medo e de indignação com o que aconteceu. “As pessoas soltam os cães muito valentes lá no Deracre. É uma verdadeira pandemia de cachorros. Durante à noite, as pessoas vão lá, soltam os cachorros, amanhece o dia, um monte de animal. Agora minha filha está bem, graças a Deus. Uma amiga minha, entrou em contato com o centro de zoonoses que foi pegar o cachorro”.

Helena faz um apelo aos donos de animais. “Que as pessoas seja responsáveis. Muitos cruzam animais e quando crescem os soltam. Perto do campo de futebol tem muita crianças”.

O coordenador do Centro de Zoonoses de Cruzeiro do Sul, Paulo Vasconcelos informou que teve conhecimento desse caso, e que a Equipe da Unidade de Vigilância em Zoonoses esteve no local e fez a captura do animal que atualmente passa por avaliação. Ele afirmou também que foi informado por moradores sobre o descarte ou abandono de animais na região do Deracre.

Vale destacar que outras administrações municipais já chegaram a autorizar a soltura de animais, especialmente os cães, após capturados e vacinados, em ramais de Cruzeiro do Sul, como forma de diminuir o numero de bichos presos no centro. Paulo garante que essa não é a prática da atual gestão
. “Hoje não se faz mais isso, pois os animais delimitam seus territórios. Deixar um animal em um habitat que não é o dele, esse animal pode sofrer agressões pelos animais que já habitam aquele local. Então esse animal não vai ter o que comer, o animal pode ficar nas matas e pode se tornar agressivo e passar a atacar as pessoas. O que recomendamos é que identifique quem esta abandonando esses animais e fazer boletim de ocorrência na delegacia ou acionar o Pelotão Ambiental da Polícia”.

O coordenador do Centro de Zoonoses também faz um alerta. “Quero aqui deixar um esclarecimento quanto a posse de animais, que a pessoa após adotar um animal ele passar a ser responsável por ele desde um local adequado para esses aninais, alimentação, vacinação e medicação e por qualquer danos causado por esses aninais. O não cumprimento desses itens pode ser tipificado como maus tratos inclusive o abandono, podendo o proprietário responder criminalmente”, concluiu.




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img