Rio Branco,

Ao vivo, Casagrande pede a interrupção do futebol após surto de Covid no Corinthians

Por RD1

Walter Casagrande ficou revoltado com a atual situação da pandemia do novo coronavírus no país e pediu a paralisação do futebol

Durante sua primeira participação no Globo Esporte SP da última terça-feira (2), Walter Casagrande ficou revoltado com a atual situação da pandemia do novo coronavírus no país e pediu a paralisação do futebol. Mais do que o mundo esportivo, o comentarista entendeu como correta a paralisação de tudo.

“Boa tarde! Começando o Globo Esporte com uma notícia preocupante. O Corinthians está no aguardo de resultados do segundo exame de vários jogadores e tem o receio de um possível surto de Covid-19 nos atletas. Mais uma vez o futebol sendo reflexo da sociedade”, começou Felipe Andreoli.

Com a palavra, Casagrande comparou os comentários genéricos sobre uma partida de futebol e ressaltou que o momento não era para declarações do tipo.

“No futebol hoje se fala muito de x por cento de posse de bola, quantos chutes de no gol um time, quantos escanteios tiveram. Mas esses números não são os importantes no momento. O Brasil está passando pelo pior momento, o mais crítico desde o início da pandemia”, desabafou.

Em meio aos olhares atentos da produção e do apresentador, o ex-jogador do Corinthians falou sobre a situação caótica enfrentada pelo país. “Recorde de mortes a cada 24 horas, contaminação, os hospitais 100% de UTIs lotadas.

É o momento, na minha opinião, de tudo parar, não é o futebol. Tem que tudo parar para ver se melhora alguma coisa. Nós não podemos dar continuidade a isso”, defendeu.

O famoso desabafou no ar implorando para que uma medida enérgica seja tomada pelas autoridades. “No ano passado, menos crítico estava tudo parado. O futebol tem que parar, Andreoli. Na minha opinião. Tô falando de futebol porque é um programa esportivo, mas tudo tem que parar”, apontou.

Em seu blog no GE, Casagrande continuou no assunto e lamentou a falta de pulso dos governantes no combate à pandemia.

“Estamos atravessando o pior momento desde da divulgação da pandemia. Fevereiro foi o pior mês. Temos o maior número de novos casos e mortes a cada 24 horas. Mais de 255 mil pessoas já morreram, e está tudo funcionando, inclusive o futebol, como se nada estivesse acontecendo”, detonou.




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img