Rio Branco,

Apesar de vazante na maioria dos rios, Acre ainda tem mais de 110 mil pessoas alagadas

Por Ac 24 Horas

A maioria dos rios acreanos que faz com que 10 municípios enfrentem fortes enchentes e o Acre viva uma situação de calamidade pública, apresentam vazante nesta terça-feira, 23. Mesmo assim, a situação continua extremamente preocupante. Números contabilizados pelas secretarias municipais de assistência social e coordenação municipal de defesa civil apontam que 110.766 pessoas ainda estão atingidas pelas cheias. O Corpo de Bombeiros divulgou um panorama da situação nesta manhã nos municípios.

Rio Branco

Na capital acreana, o Rio Acre voltou a apresentar diminuição no volume de água nesta terça, medindo 15,20 metros, estando 1, 20 metros acima da cota de transbordamento. Mesmo assim, a Defesa Civil continua com a estimativa de mais enchente nas próximas horas. Cerca de 2.740 famílias e 13. 700 pessoas foram atingidas. Atualmente, 129 pessoas estão desalojadas e 75 desabrigadas.

Cruzeiro do Sul

O nível do Rio Juruá no início da manhã de hoje é de 14,19 metros. Nas últimas 24 horas, o nível baixou 14 centímetros. Ainda assim, Cruzeiro do Sul enfrenta a maior cheia de sua história, uma vez que a cota de alerta é 11,80 metros e a cota de transbordamento é de 13 metros. Lá, 8.250 famílias foram atingidas, somando um total de 33 mil pessoas alagadas. Na cidade, 3.952 estão desalojadas, enquanto 250 estão desabrigadas.

Tarauacá

O Rio Tarauacá também apresenta sinal de vazante. O nível nesta terça é de 9,30 metros, abaixo da cota de transbordamento. Durante a segunda-feira, chegou a medir 9,80 metros. Na cidade, a cota de alerta é de 8, 50 metros e a de transbordamento fica em 9,50 metros. Cerca de 7 mil famílias foram atingidas, deixando 28 mil pessoas afetadas pela cheia. Até o momento, 38 pessoas estão desalojadas e 77 desabrigadas.

Feijó

O Rio Envira também apresenta vazante em relação às últimas 24 horas. O nível nesta manhã é de 14,47 metros, mas ainda está bem acima da cota de transbordamento, que é de 12 metros. Em Feijó, 1.050 famílias foram afetadas, totalizando 3.200 atingidos. Lá, 47 pessoas estão desalojadas e 90 desabrigadas.

Sena Madureira

A vazante do Rio Iaco em relação à medição das 6 horas da manhã de ontem foi de 15 centímetros. O nível agora é de 18 metros. A cheia em Sena é a segunda maior da história e, neste momento, o rio está com quase 3 metros acima da cota de transbordo, que é de 15, 20 metros. Cerca de 4.344 famílias foram atingidas e 17.376 pessoas afetadas. Ao menos 2.531 pessoas estão desalojadas e 1.465 desabrigadas.

Santa Rosa do Purus

O Rio Purus é um dos poucos rios do Acre que continua com elevação. Na medição de hoje, alcançou 9,15 metros, ultrapassando a cota de transbordamento, que é de 9 metros. No município, 382 foram atingidas e 1.910 afetadas pela cheia. Por enquanto, há 18 desalojados e 55 desabrigados.

Jordão

Também banhado pelo Rio Tarauacá, Jordão não teve medição nesta manhã, mas as informações são de que o rio já permanece abaixo da cota de alerta, que é de 7 metros. Até o último relatório, haviam 770famílias atingidas e um total de 3.080 afetadas pela cheia. Até o momento, a cidade tem 12 desalojados e 11 desabrigados.

Porto Walter

O Rio Juru nesta terça mediu 8,11 metros, também abaixo da cota de alerta, que é de 9 metros. Até agora, 800 famílias foram atingidas e 4.000 afetadas pela cheia. Cerca de 42 pessoas foram desalojadas e 55 desabrigadas.

Mâncio Lima

Banhada pelo Rio Juruá, a cidade não teve leitura do nível do rio na manhã desta terça-feira. Conforme último relatório, haviam 750 famílias atingidas, totalizando em 3 mil pessoas afetadas. Não havia nenhuma pessoa desalojada, mas 100 estavam desabrigadas.

Rodrigues Alves

Banhada pelo Rio Juruá e Paraná dos Moura, a cidade também não teve leitura dos mananciais nesta manhã. Conforme último relatório, 400 haviam sido atingidas, somando 3.500 pessoas. Lá, cerca de 430 pessoas estavam desalojadas.




ÚLTIMAS