Rio Branco,

Judiciário do Acre ignora campanha e pode comprar vacina da Rússia antes do governo

Por Ac24Horas

O Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Acre (Sinspjac) está pretendendo comprar o próprio lote de vacina contra o novo coronavírus tendo em vista a morosidade no processo de vacinação seguindo o plano nacional e estadual.

Como a estimativa na rede pública de saúde é de que a vacinação possa demorar mais de um ano para chegar a toda a população, a categoria cogita comprar a vacina da Rússia, a Sputnik V.

O sindicato já se movimenta para adquirir as doses, como conta seu presidente, Isaac Ronaltti. “Estive em 2019 realizando apresentações de trabalhos na Holanda, França e Espanha. Lá, conheci alguns amigos que participam de um grupo de colaboração de pesquisas do Direito Internacional que migram informações e acessos. Eles me orientaram a consultar um colega na Embaixada da Rússia para se inteirar do processo de compra privada da vacina”, explica.

Isaac conta ainda que já recebeu sinal positivo dos russos e que a partir de abril pode ser que se torne possível a aquisição das vacinas produzidas na Rússia. “A partir de abril existe sim a possibilidade de que a vacina esteja liberada pela Anvisa e o Ministério da Saúde autorize a aquisição privada”, diz Ronaltti.

A vacina Sputnik V, que ainda não tem registro na Anvisa, vai ser produzida em parceria com a empresa brasileira União Química Farmacêutica Nacional. A empresa é parceira do Fundo de Investimentos Diretos da Rússia (RDIF) na produção da vacina Sputnik V, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya. O acordo de transferência de tecnologia, fechado entre o RDIF e a União Química, prevê a organização de uma completa cadeia de produção do imunizante, inclusive do IFA, no território brasileiro.

Os lotes pilotos da vacina começaram a ser produzidos pela União Química agora em janeiro. A previsão da administração da empresa é que a produção mensal atingirá 8 milhões de doses por mês em março-abril de 2021. A Sputnik V é a primeira vacina contra a COVID-19 no mundo registrada pelo Ministério da Saúde da Federação da Rússia em 11 de agosto de 2020.




ÚLTIMAS