Rio Branco,

Iapen volta a suspender visitas em presídios no Acre

Por G1 AC

Com o aumento dos casos de Covid-19 no estado acreano, o Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC) voltou a suspender as visitas nos presídios do estado por um período de 15 dias. A portaria foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (26).

A suspensão das visitas ocorre pouco mais de cinco meses depois, da retomada gradual, em agosto do ano passado. A primeira vez que as vistas foram suspensas foi no mês de março devido à pandemia do novo coronavírus. Suspender as visitas foi uma medida tomada pela presidência do Iapen antes mesmo que os casos de Covid-19 começassem a ser registrados nos presídios.

A portaria do Iapen informou que a medida leva em consideração a recomendação do Ministério da Saúde do dia 13 de março de 2020 para que durante o período de emergência na saúde pública fossem adiados ou cancelados eventos de massa governamentais, esportivos, culturais, e políticos.

“Considerando o significativo aumento do número de casos no estado do Acre, refletindo também na elevação de contaminação entre servidores policiais, técnicos e administrativos do Iapen; que o ambiente prisional, apesar de todos os cuidados sanitários, é propício para doenças do trato respiratório, fator esse favorável a segunda onda de covid-19, resolve suspender no âmbito dos estabelecimentos prisionais todas as visitas por um período de 15 dias”, afirma a portaria.

O Acre registrou até a segunda-feira (25), mais de 46,5 mil casos de Covid-19 e mais 854 vítimas fatais, segundo o boletim da Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre).

Covid-19 no sistema penitenciário

O Iapen informou que até a segunda-feira (25), foram foram registrados 426 casos confirmados da doença entre servidores. Destes casos confirmados 390 foram em policiais penais e 36 servidores administrativos. Ao todo, foram 782 notificações.

O órgão informou que não há casos em análise. Além disso, 413 já são considerados curados. O Iapen tem 61 servidores afastados por causa da pandemia.

Já entre os presos, foram 450 casos notificados. Destes, 266 foram confirmados com a doença, 181 foram descartados, um indetectável e um inconclusivo. Não existem casos em análise e 262 presos já foram considerados curados e três óbitos foram registrados.




ÚLTIMAS