Rio Branco,

Empresária compra celular para presentear avó e recebe pacote com bobinas de papel

Por G1

Caixa com bobinas de papel e nota fiscal de celular adquirido na internet, em Goiânia, Goiás — Foto: Maísa Alves/Arquivo pessoal

O que era para ser uma surpresa de Natal se tornou um pesadelo para uma família de Goiânia. Netas e sobrinhas da aposentada Roseli Maria da Silva, de 74 anos, decidiram presenteá-la com um smartphone especial para idosos, mas foram surpreendidas quando abriram a encomenda: ao invés do aparelho, encontraram bobinas de papel.

A compra foi feita no site da Lojas Americanas no dia 28 de novembro deste ano, data da Black Friday, e a previsão era de receber o produto no dia 10 de dezembro. No entanto, a compra não chegou na data estipulada.

Segundo a empresária Maísa Alves, que comprou o celular para a avó, a encomenda chegou um mês após a compra, em 28 de dezembro. Um vídeo registrou o momento em que Maísa entregou a encomenda para a avó abrir e se deparou com pacotes de bobina de papel.

“Ficamos chocadas, horrorizadas, é muito constrangedor. Minha avó ficou super triste, perguntando como alguém ter coragem de fazer algo assim”, conta a empresária.

Em nota, a Lojas Americanas informou, na quarta-feira (30), que entrou em contato com a cliente e “está tratando o caso”.

Segundo Maísa, um supervisor da loja entrou em contato com ela, por telefone, oferecendo a possibilidade de cancelar a compra e receber o estorno do valor pago, R$ 863,55. No entanto, a empresária disse que não quer o dinheiro e sim o aparelho, já que é um modelo específico para pessoas idosas, que não é fácil de encontrar para adquirir.

“É um smartphone voltado para idosos, tem os ícones maiores, facilidade de acesso, até mesmo de pedir ajuda se estiver passando mal. Eu mesma tenho uma loja de celulares, mas não tenho esse aparelho, se servisse qualquer celular eu pegaria na minha loja”, afirma.

Empresária é surpreendida ao receber encomenda com bobinas de papel no lugar de celular — Foto: Maísa Alves/Arquivo pessoal

Empresária é surpreendida ao receber encomenda com bobinas de papel no lugar de celular — Foto: Maísa Alves/Arquivo pessoal

 

Entrega

 

De acordo com a empresária, a caixa foi entregue com a nota fiscal colada ao lado de fora do pacote. Como as informações eram do produto que ela comprou, acreditou que estivesse tudo certo. Somente após a avó dela abrir a encomenda, é que percebeu que havia algo errado.

“No vídeo meu sobrinho, que estava gravando, até ri, porque ele achou que era uma trollagem minha, que eu entregaria uma caixa fake para ver a reação da minha avó e depois daria o aparelho. Mas, quando ele viu minha expressão, viu que era sério e até parou de gravar”, conta.

Maísa conta que, na data em que a encomenda foi recebida, o site da Lojas Americanas atualizou o status do pedido como entregue.

A entrega foi realizada por uma transportadora. Segundo a empresária, um funcionário entregou o pacote, pediu desculpas pelo atraso e foi embora, sem pedir que ela assinasse nenhum documento. Após a repercussão do caso nas redes sociais, o funcionário retornou ao local para buscar a caixa na última quarta-feira, mas Maísa não entregou.

“Estava em uma ligação com esse supervisor da Americanas e ele disse que eu não deveria entregar nada, pois ele não estava sabendo dessa retirada e disse que a loja resolveria a situação com a transportadora”.

G1 tenta, na manhã desta quinta-feira (31), contato com a transportadora responsável pela entrega para obter um posicionamento sobre o caso.

Avó foi surpreendida ao receber bobinas de papel ao invés de celular — Foto: Maísa Alves/Arquivo pessoal

Avó foi surpreendida ao receber bobinas de papel ao invés de celular — Foto: Maísa Alves/Arquivo pessoal

Expectativa frustrada

 

Maísa conta que a avó estava bastante ansiosa para ganhar o smartphone, pois o aparelho que ela tem serve apenas para ligação e foi um presente recebido há 18 anos.

“Minha avó me ligava todo dia querendo saber cadê o celular. Avisei que a data de entrega seria no dia 10 e, desde então, ela estava ansiosa pela chegada. Agora estamos viver esse transtorno”, comenta. 

Além da expectativa frustrada, a empresária reclama da dificuldade para resolver a situação. “O pior de tudo é a dor de cabeça para resolver, tudo muito burocrático, demorado”, afirma.




ÚLTIMAS