Rio Branco,

PM de Sena Madureira prende acusado de assassinar colono no rio Purus

Por Sena Online

Em mais uma ação rápida e exitosa, a Polícia Militar de Sena Madureira conseguiu capturar na tarde desta quinta-feira (10), um homem acusado na prática de um crime brutal ocorrido na altura do seringal São Francisco, rio Purus. Trata-se de Vilson Souza da Conceição, 35 anos de idade.

Ele foi preso dentro de um táxi, nas proximidades da Praça 25 de setembro, no exato momento em que tentava se evadir para o município do Bujari, onde pretendia ficar refugiado.

Para impedir a fuga, a PM montou uma operação desde que foi comunicada do caso, muito embora o crime tenha ocorrido em território Amazonense. Nesse sentido, o apoio dos moradores também foi determinante. Eles ligaram para o 190, anonimamente, relatando que o acusado teria embarcado em uma canoa com destino a Sena Madureira com o fito de fugir para outra cidade.

Um dos policiais abordou o dono da embarcação e solicitou mais detalhes. O mesmo disse que teria deixado Vilson no porto da Praia do Amarílio. Como o PM o conhecia, visualizou o mesmo no táxi e a equipe conseguiu prendê-lo.

TOCAIA

Pelo o que foi apurado até agora, tratou-se de um crime premeditado, visto que, o infrator ficou de tocaia atrás de uma árvore aguardando o momento em que a vítima – Mateus Rodrigues de Lima, 24 anos, iria passar. De posse de uma espingarda, calibre 32, pertencente a seu padrasto, Vilson efetuou um disparo contra Mateus.

Mesmo ferido, Mateus tentou escapar da morte, fugindo para uma residência, mas foi perseguido pelo acusado que ainda desferiu um corte em seu pescoço. Em seguida, jogou o corpo do colono nas águas do rio Purus.

Somente na manhã desta quinta-feira é que o corpo de Mateus Rodrigues foi encontrado.

Após receber voz de prisão, o autor foi encaminhado para a Unidade de Sena Madureira onde as devidas providências serão tomadas.

Em face do homicídio ter ocorrido em terras do Estado do Amazonas, todo o processo até posterior julgamento deverá ficar a cargo da justiça de Boca do Acre. De qualquer modo, o crime está elucidado.

 




ÚLTIMAS