Rio Branco,

Mãe denuncia negligência médica após perder o filho durante parto em Hospital de Rio Branco

Negligência

Por G1 Acre

Ainda abalada com a perda filho, Sayonara de Souza, de 29 anos, fez um relato emocionado sobre uma possível negligência médica, no momento do parto do quarto filho, na última semana, no Hospital Santa Juliana, em Rio Branco.

A mãe contou que pediu ao médico para que realizasse uma cesariana e o profissional teria resistido, e o bebê acabou morrendo, segundo ela contou à Rede Amazônica. Sayonara disse também que passou aproximadamente 11 horas na espera pelo parto e insistiu para que fosse cesariana. Ela acusa o médico que a atendeu no hospital de negligência.

“O neném se mexendo super bem. O coração batendo, porque eu estava olhando para a máquina. Então, super bem e eu tranquila porque não estava sentindo nenhuma dor e quando terminaram os exames, eles me mandaram para a sala de novo. Pedi para ele [médico] fazer a cesariana e ele disse que não podia, porque meu parto ia ser normal. Ele perguntou quantos filhos eu tinha e falei que três. Ele disse: ‘você tem três e quer um parto cesariana?’, respondi que sim, porque estava sentindo que esse tinha que ser”, contou.

A direção do hospital informou que já abriu uma investigação interna e deve se pronunciar somente depois que ouvir os funcionários do hospital e a paciente.

Salomão seria o quarto filho de Sayonara. Em casa, já estava tudo preparado para recebê-lo, mas, esse dia nunca chegou.

Sayonara disse que vai procurar a justiça — Foto: Reprodução Rede Amazônica Acre
Sayonara disse que vai procurar a justiça — Foto: Reprodução Rede Amazônica Acre

Acompanhamento

A mãe disse que fez os exames de pré-natal durante toda a gestação e que todos mostraram que o bebê estava bem e que os exames feitos após a entrada no hospital mostraram a mesma coisa. Ela contou que o médico questionou o fato de ela ter tido os outros três filhos em partos normais e querer que esse fosse diferente.

“Pedi para ele que disse que ia induzir. Falei: ‘doutor, não me induza’, implorei para não fazer isso e ele colocou a pílula dentro de mim. Depois pediu para a menina olhar o batimento do neném e, quando ela foi ouvir, não conseguiu ouvir. Ele fez o toque e disse que o que pudesse fazer, ia fazer, mas que parecia que meu filho estava morto. A dor parece que aumentou mais por causa do desespero de eu ter perdido meu filho ali naquele momento. Pedi tanto para ele fazer uma cesariana e ele não fez e ia ter que fazer uma cesariana com meu filho morto. Sendo que eu implorei várias vezes. Quando tiraram, meu filho roxo, sem vida”, chorou.

Sayonara disse que vai procurar a justiça para que as medidas cabíveis sejam tomadas para que outras mulheres não passem pela mesma dor.




ÚLTIMAS