Rio Branco,

Segurança registra baixo número de ocorrências no segundo turno da eleição

Por Secom

Seguindo cronograma de estratégias montada para atuação nas eleições 2020, a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) acompanhou, por meio do gabinete de monitoramento, todas as ocorrências relacionadas ao 2° turno da Eleição Municipal na capital do Acre. Esta foi primeira vez que as forças estaduais e federais atuaram de forma integrada no apoio às atividades operacionais durante o pleito.

A sala de monitoramento foi montada no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) com atuação efetiva de representantes das Polícias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal, além do Exército Brasileiro, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Departamento de Trânsito (Detran), Superintendência de Trânsito de Rio Branco (RBTrans), Corpo de Bombeiros e Instituto de Administração Penitenciária (Iapen).

Ao longo de todo o período de votação do 2° turno neste domingo, 29, operadores de segurança pública realizaram acompanhamento das ocorrências e deliberaram sobre ações que envolveram logística e o emprego das forças policiais como forma de garantir o exercício pleno da democracia. No total, 27 ocorrências foram geradas pelas forças de segurança estaduais e federais.

Os crimes mais recorrentes foram o de compra de votos, com 3 ocorrências, e o de boca de urna, com 9 ocorrências. Seis pessoas foram conduzidas para averiguação e abertura de inquérito ou assinatura de termo circunstanciado.

O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cézar Santos, ressaltou o bom trabalho executado pelas forças de segurança do Estado e Federal durante o período eleitoral e em dias de votação, mesmo diante de um cenário pandêmico e em período de mudança climática, característico da Amazônia, que prejudicam a atuação do efetivo.

“Estivemos trabalhando de forma integrada com todas as forças de segurança, Estadual e Federal, durante todo período eleitoral e quero parabenizar atuação de cada ente envolvido nesse processo. Foi criado e executado um planejamento estratégico de atuação nesta eleição, onde cada um teve sua função estabelecida e desenvolvida de forma exitosa, que nos levou aos baixos índices de ocorrência registrados em nosso sistema. Acreditamos que a estratégia adotada com a destinação de um espaço para a produção de informação e tomada de decisão foi fundamental nesse processo de integração das forças e a manutenção da segurança pública”, afirmou o secretário.

Ele ainda destacou que esta foi a primeira oportunidade em que os profissionais puderam desenvolver o trabalho de forma integrada, durante o primeiro e segundo turno das eleições no estado do Acre, e afirmou que esse fator foi primordial para garantir o baixo número de ocorrências.




ÚLTIMAS