Rio Branco,

No Acre, Procon deve fiscalizar estabelecimentos para evitar venda de azeite adulterado

Fiscalização

Por G1 Acre

Publicidade

O Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor do Acre (Procon-AC) está alertando os consumidores sobre o risco de consumo de azeite de oliva fraudado. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) mandou suspender a venda de nove marcas de azeite sob a suspeita de fraude na produção.

A ação do ministério ocorreu após a Polícia Civil do Espírito Santo desarticular, na quarta-feira (11), uma organização criminosa especializada na falsificação de azeites. Na operação, foram apreendidos mais de três mil frascos. Segundo a polícia, o que era vendido como azeite de oliva extravirgem, seria, na verdade, óleo de soja.

No Acre, o Procon vai iniciar uma ação para fiscalizar os estabelecimentos comerciais sobre a venda dessas marcas que foram proibidas de ser comercializadas.

Veja a lista das marcas proibidas:

▪️Casalberto
▪️Conde de Torres
▪️Donana (Premium)
▪️Flor de Espanha
▪️La Valenciana
▪️Porto Valência
▪️Serra das Oliveiras
▪️Serra de Montejunto
▪️Torezani (Premium)

“Na próxima semana vamos notificar os estabelecimentos. Já fizemos uma ação assim ano passado, que também teve uma denúncia com relação a isso. Vamos fazer de novo para não ter esse problema aqui. O alerta é que veja as marcas comercializadas porque tem algumas suspeitas de fraude”, destacou o chefe do setor de fiscalização do Procon-AC, Rommel Queiroz.

Caso seja encontrada algum produto das marcas proibidas nas prateleiras, Queiroz disse que o comércio vai ser notificado e deve fazer a retirada do material. “O Ministério da Agricultura já verificou que é fraudado. Estão vendendo óleo no lugar de azeite. Às vezes, a marca é original, mas estão colocando o produto ilegal no lugar. Vamos verificar se há ou não essa irregularidade”, concluiu.


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade