Rio Branco,

No Acre, CRM denuncia clínica terapêutica por exercício ilegal da medicina

Por G1 AC

Publicidade

Pela segunda vez, o Conselho Regional de Medicina do Acre (CRM-AC) denunciou a clínica Espaço Terapêutico – Viver Mais, em Senador Guiomard, no interior do Acre, por exercício ilegal da medicina.

O CRM informou que a clínica pratica um procedimento conhecido “Avaliação Terapêutica de Bioressonância Magnética”, no qual conclui diagnóstico ginecológico, função renal, pulso do coração e do cérebro, função pulmonar, sistema nervoso, entre outros. Os procedimentos são restritos da medicina e estariam sendo feitos por profissionais não médicos.

O dono da clínica, o terapeuta naturalista Paulo Ferreira, negou as acusações e disse que já foi até a delegacia da cidade prestar alguns esclarecimentos e afirmou que está de portas abertas para qualquer fiscalização.

“Já prestei alguns esclarecimentos, levei documentação e mostrei qual profissional eu sou, terapeuta naturalista, já levei do profissional de saúde, o fisioterapeuta inscrito no Crefito [Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional], tudo direitinho. É uma denúncia que eles fizeram sem fundamento. Ainda não chegou ao final dos autos e agora que fui ouvido na delegacia”, disse.

A denúncia foi feita ao Ministério Público Estadual (MP-AC), nessa segunda-feira (9), por meio de ofício. Segundo o CRM, esta é a segunda vez que notifica o órgão e pede apuração do caso. A primeira notificação foi feita em 2018.

O dono do espaço disse que a denúncia foi feita com base em um panfleto, mas, que nele é listado apenas os trabalho fitoterápico e descarta a realização do procedimento Avaliação Terapêutica de Bioressonância Magnética.

“Deixei aberto meu espaço para qualquer tipo de vistoria que quiserem fazer, então, é uma denúncia feita em cima de um panfleto que está nos autos, e ele apenas diz produtos fitoterápicos, produtos naturais e em nenhum momento diz no panfleto que faz consulta ginecológica, cardiologista, coisas que requerem a atuação médica”, acrescentou.

Ferreira disse que no espaço é feito apenas avaliação terapêutica e fisioterapêuticas, como RPG, pilates, disfunções da coluna, dores de cabeça, pré e pós operatórios que são atendimentos inerentes à fisioterapia.

“Tratamento de idosos com osteoporose, fazemos a reabilitação e todos são tratamentos com fisioterapia. Então, está tudo escrito aqui na frente da nossa clínica, prevenção, tratamento e reabilitação. Ortopedia, traumatologia e geriatria. Isso aqui é feito por profissional na área da fisioterapia e tudo está na legalidade e não tem nada errado. E também temos tratamento fitoterápico”, concluiu.

O CRM destacou ainda que a atuação da clínica com o procedimento de análise clínica, sem o acompanhamento de um médico, coloca em risco a saúde pública, além disso, infringe as normas dos atos privativos do médico.

O G1 não conseguiu resposta do MP sobre a denúncia feita ainda em 2018.


Publicidade




ÚLTIMAS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidade