Bruno e Marrone são flagrados com traficantes, Polícia Federal dá voz de prisão e vídeo vaza
Siga-nos

Rio Branco,

Bruno e Marrone são flagrados com traficantes, Polícia Federal dá voz de prisão e vídeo vaza

iG

Os cantores Bruno e Marrone, que formam uma das duplas sertanejas mais famosas do país, apareceram em um vídeo de um dossiê da Polícia Federal sobre a Operação Status que chocou o país.

A operação foi deflagrada no dia 11 de setembro, e um vídeo mostra Bruno e Marrone cantando na festa de aniversário de Emídio Morinígo Ximenes, que foi apontado como o líder do grupo alvo da investigação que envolve até formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

O vídeo foi feito em 2017, quando Bruno e Marrone cantaram na festa. As imagens foram anexadas ao inquérito como prova da ostentação da família, que envolve milhões de reais resultantes do tráfico de cocaína. Durante a operação no local, os agentes federais prenderam lanchas, quadricículos e motos aquáticas. Os agentes acreditam que tudo foi comprado com dinheiro do tráfico.

A filmagem com Bruno e Marrone aconteceu na Pousada Paraíso, que é no Lago de Manso. O local pertence ao empresário Tairone Conde Costa, que acabou sendo preso pela Polícia Federal em Cuiabá, no Mato Grosso do Sul. Ainda no inquérito, foi apontado que os envolvidos usavam o local de fachada para poder fazer lavagem de dinheiro.

No vídeo que foi divulgado pela Polícia Federal, é possível ver o momento em que a dupla envolvida no esquema convida Bruno e Marrone para cantar no palco. Confira:

Essa não é a primeira vez que nome da dupla é envolvido em caso de polícia

Recentemente, em meio a pandemia, Bruno surgiu cantando em uma festa particular que contou com a presença de outros famosos. A polícia acabou recebendo a denúncia sobre a festa e “baixou” no local.

O organizador, inclusive, foi preso. Posteriormente, o sertanejo se manifestou e se disse arrependido de ter feito o show em meio a pandemia do novo coronavírus.

 

Escreva seu comentário

Informamos aos nossos caros leitores que a Equipe Ecos da notícia não se responsabilizará pelas consequências jurídicas
sobre os comentários divulgados.