Bairros de Rio Branco não recebem benefícios por determinação de criminosos | Ecos da Notícia
Siga-nos

Rio Branco,

Bairros de Rio Branco não recebem benefícios por determinação de criminosos

Redação Ecos da Notícia

A violência e criminalidade não está ligada somente a fatos mais brutais ou sangrentos estampados nos veículos de imprensa do Estado do Acre, eles acontecem nos bastidores da sociedade e nem sempre ganham destaque por medo das vítimas passarem por represálias.

Um dos maiores programas da atual gestão municipal de Rio Branco que tem sido elogiado e criticado ao mesmo tempo, tem sido a atualização da iluminação das ruas da capital com luz de led.

De um lado os políticos fazem seu papel ou deveriam, na sociedade existem os que pedem para suas ruas e os que já receberam.  Mas existe outro fator que pode dificultar ainda mais a chegada desse benefício em alguns bairros devido a lei do crime ser maior e mais forte do que a ação do estado.

Essa semana, um prestador de serviço da empresa que realiza a troca das luzes para a Energisa e que pediu para não ser identificado, relatou que viveu um momento tenso, pois ao tentar fazer o seu serviço, homens armados chegaram próximos ao carro da empresa e questionaram o que ele foram fazer na área e ao relatar que faria a troca, logo foi proibido e imediatamente a equipe se retirou do local.

“Eu comuniquei à chefia do ocorrido e nada mais pudemos fazer. Não vou arriscar minha vida se não deixam fazer o nosso trabalho”, disse o homem insistindo em não ser identificado.

Caso semelhante ocorreu na área do segundo distrito de Rio Branco, no bairro Belo Jardim, onde homens da zeladoria que faziam o serviço de limpeza e roçagem antes da entrada das máquinas que faria a melhoria das ruas, foram informados para deixarem o local. Somente com a presença de forças policiais na área foi possível fazer a limpeza, mas não recebeu maiores benefícios por servidores da prefeitura temerem por sua segurança.

Escreva seu comentário

Informamos aos nossos caros leitores que a Equipe Ecos da notícia não se responsabilizará pelas consequências jurídicas
sobre os comentários divulgados.