Especialista analisa novo surto da acreana Raissa Barbosa em A Fazenda: "Dor emocional grande" | Ecos da Notícia
Siga-nos

Rio Branco,

Especialista analisa novo surto da acreana Raissa Barbosa em A Fazenda: “Dor emocional grande”

Leo Dias/Metrópoles

Em A Fazenda 12, a acreana e ex-vice-Miss Bumbum Raíssa Barbosa brigou com Luiza Ambiel e, logo em seguida, foi até o banheiro e deu chutes na porta até quebrá-la. Esta não é a primeira vez que a modelo, que já disse ter síndrome de Borderline, tem uma atitude de descontrole. A Coluna Leo Dias convidou a psicóloga Rosângela Silva para fazer uma análise do quadro apresentado por Raíssa e o convívio social.

“O Transtorno de Personalidade Borderline é um distúrbio grave do comportamento, envolvendo várias áreas de atuação do paciente com atitudes e condutas desarmônicas”, afirmou a especialista. Segundo Rosângela, a impulsividade e a instabilidade de humor são marcas de pacientes que apresentam este tipo de quadro. Os atos impulsivos decorrem da incapacidade do paciente em elaborar críticas como também na interpretação de processos cotidianos dos relacionamentos interpessoais.

“O padrão desadaptado do comportamento é constante com tendência marcante a agir impulsivamente, sem considerar as consequências. A instabilidade do humor predomina nesses pacientes desencadeando acessos de raiva intensa, associados a atos violentos e ou a explosões comportamentais”, analisa. Silva ressaltou ainda o sofrimento psíquico ao qual Raíssa está submetida. “A dor (psíquica) é muito grande. Como se ela não conseguisse ‘dar conta’ do que ela está sentindo o que causa sofrimento. Ela está sentindo uma dor emocional muito grande”, complementa.

A especialista ressaltou ainda que, nestes quadros, urge a necessidade de um acompanhamento profissional especializado para saúde e bem estar do paciente. “Todo transtorno mental requer tratamento por profissional especializado e quando esses pacientes apresentam surtos recorrentes e frequentes o acompanhamento médico é fundamental para evitar danos psíquicos e sociais irreparáveis para o paciente e as pessoas de seu convívio”, afirma.

Escreva seu comentário

Informamos aos nossos caros leitores que a Equipe Ecos da notícia não se responsabilizará pelas consequências jurídicas
sobre os comentários divulgados.