19 outubro 2021 2:45 am
23.3 C
Rio Branco
19 outubro 2021 2:45 am

Deltan Dallagnol recusa saída honrosa da Lava Jato

Saída

CNN Brasil
- Publicidade-

Prestes a ser julgado por seus pares no Conselho Nacional do Ministério Público, o procurador chefe da Lava Jato, Deltan Dallagnol, recusou propostas de uma saída honrosa. Houve sugestões de promoção de cargo, viagem ao exterior, ideias para afastá-lo do comando da Lava Jato de uma maneira menos traumática.

Dallagnol tem respondido que honroso mesmo é continuar defendendo o que acredita. À CNN, o procurador disse que “remoções à força” são exceções na carreira e se defendeu de ter cometido alguma irregularidade na Lava Jato.

O CNMP vai analisar a proposta da força tarefa em utilizar parte dos recursos de indenização da Petrobras, pelos desvios, na criação de uma fundação. Também há pedidos sobre a conduta de Deltan ao fazer comentários sobre política na internet.

“O julgamento de terça não é sobre qualquer irregularidade que tenha sido apurada na Lava Jato. De todas as reclamações disciplinares contra mim, só duas se tornaram processos administrativos e ambas se referem a opiniões públicas minhas, a críticas a decisões do Supremo e à defesa do voto aberto nas eleições para o Senado. Ou seja, não têm nada a ver com irregularidades em investigações e processos”, afirmou o procurador neste domingo (16).

“A garantia de inamovibilidade, contra remoções à força, existe para impedir interferências externas em investigações. Por isso remoções à força são excepcionais e só se admitem quando há irregularidades graves e demonstradas, o que não existe neste caso. Os casos em que aconteceu remoção forçada foram situações de pessoas que mal iam trabalhar, o que não tem nada a ver com a minha realidade”, completou.

Há maioria no Conselho para punir Dallagnol, como a CNN mostrou.

“O julgamento de terça não é apenas sobre Deltan Dallagnol, mas é muito mais do que isso, é sobre o exemplo que vai ficar. A questão é se procuradores vão poder continuar trabalhando para responsabilizar poderosos sem ter medo de serem retaliados por cumprirem seu dever. Diante disso tudo, minha expectativa é de que possa seguir fazendo o trabalho que temos feito na Lava Jato”, disse à CNN.

- Publicidade-
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS