21 janeiro 2022 3:09 am
22.3 C
Rio Branco
21 janeiro 2022 3:09 am

COVID19: Jovem acreana sugere ao governo realização de mutirão de teste direcionado

Nayara Vilas Bôas
-------- Continua depois da Publicidade--------

Estudo baseado no Boletim de informações do Governo do Estado do Acre, datado em 15 de maio de 2020.

Analisando os gráficos apresentados pela Agência de Notícias do Acre pude perceber dados alarmantes e consequentemente pensar em possíveis soluções para enfrentamento do Covid-19 no estado do Acre.

O número de infectados do dia foi de 1785. Temos uma população de 881.935, de acordo com o IBGE, ou seja, cerca de 0,2% da população do Acre está contaminada com o covid-19. Um número razoavelmente baixo.

De acordo com o boletim, 642 pessoas já tiveram alta, ou seja 36%.

O boletim traz dois gráficos interessantes:

O primeiro gráfico mostra a idade e o sexo de pessoas contaminadas.

A maior faixa etária de contaminados está entre 20 e 50 anos.
Sendo que a maior proporção está entre 30 e 39 anos.

O que podemos analisar neste gráfico?

Podemos verificar que esta é a idade de pessoas que estão em plena atividade, ou seja, trabalhando e consequentemente não estão cumprindo o isolamento social.

O que me chamou a atenção foi o gráfico 5 do Boletim.

Este gráfico representa o número de pessoas que faleceram vitimadas pela covid-19.

Fato 1. O maior número é de idosos com idade entre 50 e mais de 80 anos.

Fato 2. 67% destas pessoas são homens

Fato 3. 75% tinham outras doenças que em comorbidade com a covid-19 acabaram se agravando.

De acordo com a projeção do IBGE temos 7,34% de homens com idade de 50 a 80 anos.

CONCLUSÃO
O isolamento social teria surtido efeito caso todos tivessem cumprido quando ocorreu a primeira determinação em março.

Infelizmente a população jovem não entendeu o recado e consequentemente trouxeram o vírus para dentro de casa, atingindo seus pais e avós.

Com esses dados o governo pode tomar medidas que visem a melhorar a situação.

O rodízio de carros não vai alterar o número de contaminações para menos, talvez altere para mais.

Jovens com idade entre 20 e 25 anos darão algum jeito de sair para suas festas, como vem acontecendo, segundo denúncias.

Trabalhadores com idade entre 25 a 40 anos continuarão exercendo suas atividades e utilizarão o transporte público para se deslocar até seus locais de trabalho.

O Acre tem um alto índice de trabalhadores autônomos, que não obedecerão ao decreto e de uma forma ou de outra sairão para buscar o pão de cada dia para suas famílias.

Entendo que a ideia tem a melhor intenção, mas, infelizmente, estudos já mostraram que não surtirá efeito. Apenas constrangimento à população.

O que o Governo precisa fazer?

O governo precisa mapear o número de idosos que estão contaminados e acompanhar os casos.

O governo precisa mapear o número de pessoas contaminadas que possuem idosos em casa e posteriormente fazer o teste nestes idosos.

Eu proponho que o governo faça um mutirão de testes para todos aqueles que tiverem idade entre 50 e 80 anos, assim, o governo teria uma projeção e poderia agir para salvar estas vidas.

Levando em consideração que a maioria das pessoas são jovens e estão sendo “curados”, proponho que o Governo libere o comércio parcialmente. Permitindo que pessoas com idade entre 20 e 40 anos saiam de casa, desde que:

• Não venham a ter contato com pessoas com idade entre 50 e mais de 80 anos;

• Não tenham histórico de doenças que podem entrar em comorbidade com a covid-19.

Fontes de pesquisa:
Agencia de Notícias do Acre
IBGE

Lembrando que isso é um estudo baseado em informações públicas repassadas pelo Governo. É necessário que o grupo técnico faça aprofundamento do estudo.

NAYARA VILAS BÔAS
Licenciada em Ciências Biológica pela Universidade Federal do Acre

-------- Continua depois da Publicidade--------

Procon fiscaliza farmácias e laboratórios para avaliar preços dos testes de covid-19

A operação faz parte dos esforços o Sistema Estadual de Defesa do Consumidor no enfrentamento da covid-19, tendo a Seccional da OAB solicitado, por meio da Comissão de Defesa do Consumidor, a ação do instituto para advertir aos laboratórios particulares quanto à disparidade de preços cobrados nos testes, alguns com valores exorbitantes.
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS